sicnot

Perfil

Mundo

Embaixada dos Estados Unidos em Havana é hoje atração turística

A cidade de Havana vive hoje a "ressaca" das cerimónias de reabertura da embaixada dos Estados Unidos em Cuba, marcadas na sexta-feira pelo içar da bandeira norte-americana na presença do secretário de Estado, Jonh Kerry.

© Alexandre Meneghini / Reuters

A bandeira dos Estados Unidos está içada desde sexta-feira no edifício da embaixada que ostenta na fachada a inscrição em letras de bronze: "Embassy of the United States" (Embaixada dos Estados Unidos), junto ao escudo norte-americano.

Este sábado, os símbolos transformaram-se em atração para dezenas de turistas estrangeiros, incluindo visitantes dos Estados Unidos, que, segundo a agência EFE, aproveitam a ocasião para tirar fotografias em frente à bandeira e à embaixada.

"Viemos aqui para fotografarmos a bandeira a ondular porque hoje não há tanta gente", disseram Anne e Richard, dois jovens norte-americanos que compraram os bilhetes de avião para Havana quando foi conhecida a data da reabertura oficial da embaixada dos Estados Unidos em Cuba.

Com a mesma intenção estiveram hoje no local grupos de turistas brasileiros, franceses e holandeses.

A cerimónia oficial de 14 de agosto é notícia de destaque nas edições de hoje nos jornais cubanos.

"Começa um longo e complexo caminho" titula o Granma, o órgão oficial do Partido Comunista de Cuba, no poder desde 1959.

"É possível construir relações civilizadas entre Cuba e os Estados Unidos" escreve o jornal Juventud Cubana, que também pertence ao único partido do país.

Ambos os jornais reproduzem na íntegra os discursos de John Kerry e as declarações da conferência de imprensa em que estiveram presentes o secretário de Estado norte-americano e Bruno Rodriguez, chefe da diplomacia cubano.

Terminado o processo que conduziu ao restabelecimento de relações diplomáticas iniciam-se agora os contactos sobre o fim do embargo económico e comercial norte-americano a Cuba, a devolução dos terrenos onde está instalada a Base Naval de Guantánamo reclamada por Havana, além de assuntos relacionadas com direitos humanos.

A questão dos direitos humanos esteve presente durante a visita de John Kerry, que pediu a Cuba mudança de atitude.

Kerry reuniu-se em privado com alguns dissidentes na residência do novo encarregado de Negócios dos Estados Unidos, Jeffrey DeLaurentis.

Mesmo assim, dissidentes cubanos e organizações de direitos humanos de Havana criticaram os Estados Unidos e rejeitaram os encontros, como as "Damas de Blanco", por não terem sido convidados para a cerimónia oficial na embaixada dos Estados Unidos.

As principais críticas partiram de Berta Soler, líder das "Damas de Blanco", e do diretor da plataforma Sats, Antonio González- Rodiles.

Entretanto, o ministro cubano dos Negócios Estrangeiros, Bruno Rodriguez, disse que Cuba pretende discutir "todos os assuntos" com os Estados Unidos, incluindo direitos humanos.

"Nós temos conceitos diferentes sobre soberania, democracia e direitos humanos", afirmou Rodriguez na conferência de imprensa que decorreu na sexta-feira, em Havana.

O próximo contacto diplomático entre os dois países está agendado para os dias 10 e 11 de setembro, em Havana.

Lusa

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC