sicnot

Perfil

Mundo

Encontrado um sobrevivente a 50 metros do epicentro das explosões de Tianjin, China

Um homem com cerca de 50 anos foi hoje resgatado vivo a cerca de 50 metros do epicentro das explosões ocorridas na quarta-feira num terminal de contentores no porto de Tianjin, no norte da China.

© China Stringer Network / Reut

Segundo a agência oficial de notícias chinesa Xinhua, o homem foi encontrado por especialistas em guerra química que acorreram hoje ao local do desastre e o transportaram de imediato para um hospital na cidade.

A vítima "estava consciente e conseguia falar", de acordo com os elementos que o resgataram.

Na sexta-feira tinha sido já resgatado dos escombros um bombeiro de 19 anos.

As autoridades chinesas ordenaram a retirada de todos os moradores residentes num raio de três quilómetros do local onde ocorreram as explosões, perante receios relacionados com a propagação de químicos.

Até ao momento, as explosões causaram 85 mortos, 21 dos quais bombeiros, mais de 700 feridos e um número indeterminado de desaparecidos.

Apesar do conteúdo específico dos contentores ainda permanecer desconhecido, especialistas que colaboram na investigação consideram ser "possível" que armazenem cianeto de sódio, altamente tóxico, entre outros produtos químicos, como nitrato de amónio, nitrato de potássio e carboneto de cálcio.

As autoridades esperam que a colaboração de 70 especialistas em produtos químicos, que se deslocaram hoje ao local, permita conhecer mais dados, verificar o número de vítimas e encontrar mais sobreviventes.

Hoje deflagrou no armazém um novo incêndio. Vários incêndios e explosões de pequena dimensão tinham vindo a registar-se desde quarta-feira, dificultando as operações de busca e salvamento, mas as autoridades locais tinham dado o fogo como extinto na sexta-feira ao final da tarde.

Maior porto do norte da China, situado a 150 quilómetros de Pequim, Tianjin é a sede de um município com cerca de 15 milhões de habitantes.

Lusa

  • Hospitais vão ser penalizados se não cumprirem tempos de espera
    2:37

    País

    O Ministério da Saúde vai penalizar os hospitais que não cumprem os tempos de espera nas urgências e que tenham taxas elevadas de cesarianas. O novo modelo de financiamento prevê ainda linhas de financiamento próprio para a obesidade e rastreios do cancro do cólon e do colo do útero.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26