sicnot

Perfil

Mundo

Explosão de bomba num carro mata 11 pessoas e provoca 70 feridos no Iraque

Pelo menos onze pessoas morreram e outras 70 ficaram feridas com a explosão de uma bomba num carro na zona de Habibiya, o bairro de maioria xiita de Sadr, situado a este de Bagdade, informou à Efe uma fonte das autoridades iraquianas.

AP

A explosão teve lugar perto de estabelecimentos de exposição e venda de carros e causou a destruição de vários veículos que se encontravam no lugar.

Habibiya foi o cenário de vários ataques anteriores, porque é uma região muito frequentada e onde os iraquianos se deslocam para comprar e vender carros.

Além disso, encontra-se no bairro populoso de Sadr, uma cidade em que a população é maioritariamente xiita, e que tem sido fustigada por ataques de grupos sunitas radicais.

O último atentado em Sadr registou-se há dois dias quando um camião bomba explodiu no mercado popular de Yamila, causando 55 mortos e 110 feridos.

O grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI) reivindicou o atentado, dizendo que foi contra os xiitas, considerados hereges e fiéis ao Irão, cujo regime xiita apoia o governo de Bagdade na luta contra a organização terrorista.

O governo iraquiano aprovou no princípio da semana uma série de reformas que procuram, entre outros objetivos, aliviar as tensões sectárias entre sunitas e xiitas, acentuadas pelo conflito com o EI.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.