sicnot

Perfil

Mundo

PM do Japão sublinha dever de "não repetir a história" 70 anos depois da II Guerra

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, defendeu hoje o compromisso de "não repetir a história" para as gerações futuras no memorial para assinalar o 70.º aniversário da rendição do seu país, que pôs fim à II Guerra Mundial.

© Reuters Staff / Reuters

"Agora, 70 anos depois do fim da guerra, nós os membros da geração atual renovamos o nosso compromisso de não repetir a história para que as gerações vindouras possam olhar para o futuro", disse Abe durante a sua intervenção na cerimónia organizada no estádio Nippon Budokan, em Tóquio.

Após o discurso do primeiro-ministro, foi cumprido um minuto de silêncio em memória das vítimas do conflito.

Lusa

  • Adeptos do Sporting gritaram "Joguem à bola"

    Desporto

    Depois da eliminação da Taça de Portugal, o autocarro do Sporting deixou o Estádio Municipal de Chaves em clima de grante tensão. Vários adeptos leoninos protestaram contra a equipa e pediram explicações.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.