sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 840 militares do Exército ucraniano estão dados como desaparecidos

Mais de 845 militares do Exército ucraniano estão dados como desparecidos em combate, após 16 meses de conflito armado no leste da Ucrânia, disse Irina Geraschenko, da delegação de Kiev no processo de paz de Minsk.

© Valentyn Ogirenko / Reuters

O número de militares do Exército ucraniano mortos ultrapassa os 1.700, enquanto 173 soldados foram feitos prisioneiros, segundo dados do Serviço de Segurança da Ucrânia, que informou, entretanto, que 2.852 militares foram libertados do cativeiro pelas forças pró-Moscovo.

Há dois dias, segundo a agência noticiosa Efe, o juiz militar da Ucrânia, Anatoli Matios, afirmou que as forças de Kiev perderam mais de meio milhar de militares, entre mortos e desaparecidos, no cerco, há um ano, à localidade de Ilovaisk.

Lusa

  • Morreu Miguel Beleza, antigo ministro das Finanças e governador do BdP
    1:34
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.