sicnot

Perfil

Mundo

Ministro provincial paquistanês morre em atentado suicida

O ministro do Interior da província paquistanesa de Punjab morreu hoje durante um ataque suicida à sua residência, onde decorria um encontro político, anunciaram hoje as autoridades provinciais.

© Mukesh Gupta / Reuters

Shuja Khanzada ficou soterrado nos escombros do telhado do edifício, que desabou na sequência do ataque em Shadi Khan, uma aldeia situada a cerca de 70 quilómetros a noroeste da capital Islamabad, adiantaram as autoridades provinciais.

No ataque morreram pelo menos oito pessoas, disse em conferência de imprensa o comissário da polícia Zahid Saeed, adiantando que o ataque foi realizado por um suicida que conseguiu entrar na residência, apesar de haver segurança.

Após uma grande explosão, o edifício desabou e mais de 20 pessoas ficaram soterradas debaixo dos escombros, das quais 17 foram resgatadas.

O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, já condenou o "ataque terrorista" e expressou condolências pelos mortos.

O ministro tinha recebido ameaças de grupos insurgentes, disse recentemente o ministro dos Assuntos Parlamentares, Aftab Ahmed Sheikh, ao canal público da televisão paquistanesa.

O político, que tinha assumido o cargo em outubro de 2014, estava no comando das operações contra grupos insurgentes na província.

Lusa

  • Marcelo não comenta proposta sobre nomeação do governador do BdP
    0:14

    Economia

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar a proposta do grupo de trabalho para a reforma da supervisão financeira, que recomenda que o governador do Banco de Portugal seja nomeado pelo Presidente da República. Marcelo não quis comentar o assunto esta quarta-feira durante a tomada de posse do Reitor da Universidade de Lisboa.

  • Habitantes da favela da Rocinha temem novo episódio violento
    2:54

    Mundo

    Localizada no Rio de Janeiro, a Rocinha, maior favela do Brasil, foi palco de um tiroteio entre traficantes, no último fim de semana. Agora, pelo terceiro dia consecutivo, a polícia do Rio de Janeiro está a fazer um cerco em algumas favelas cariocas à procura de traficantes. A comunidade está assustada e receia que episódios violentos como este se repitam.