sicnot

Perfil

Mundo

Novo balanço nas explosões na China aponta para 112 mortos e 95 desaparecidos

As autoridades chinesas informaram que até hoje foram encontradas 112 vítimas mortais e 95 pessoas continuavam desaparecidas, incluindo 85 bombeiros, na sequência das grandes explosões de quarta-feira no porto chinês de Tianjin, noticia a Xinhua.

© China Stringer Network / Reut

O balanço foi atualizado esta manhã (madrugada em Lisboa) numa conferência de imprensa, segundo a agência de notícias chinesa.

Na anterior contagem, no sábado, tinham sido reportados 104 mortos.

Apesar do conteúdo específico dos contentores ainda permanecer desconhecido, especialistas que colaboram na investigação consideram ser "possível" que armazenem cianeto de sódio, altamente tóxico, entre outros produtos químicos, como nitrato de amónio, nitrato de potássio e carboneto de cálcio.

No sábado, um homem com cerca de 50 anos foi resgatado vivo a cerca de 50 metros do epicentro das explosões ocorridas na quarta-feira.

Segundo a agência Xinhua, o homem foi encontrado por especialistas em guerra química que acorreram hoje ao local do desastre e o transportaram de imediato para um hospital na cidade.

A vítima "estava consciente e conseguia falar", de acordo com os elementos que o resgataram.

Na sexta-feira tinha sido já resgatado dos escombros um bombeiro de 19 anos.

No sábado deflagrou um novo incêndio no armazém, sendo que vários fogos e explosões de pequena dimensão têm vindo a registar-se desde quarta-feira, dificultando as operações de busca e salvamento.

Maior porto do norte da China, situado a 150 quilómetros de Pequim, Tianjin é a sede de um município com cerca de 15 milhões de habitantes.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada desde domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.