sicnot

Perfil

Mundo

Organização alerta para recrutamento contínuo de crianças soldado na Birmânia

O recurso a crianças soldado persiste nos dois lados das trincheiras nos conflitos entre o exército da Birmânia e várias guerrilhas de minorias étnicas, segundo a organização de defesa dos direitos infantis Child Soldiers International.

© Stringer China / Reuters

A organização, sediada em Londres (Inglaterra), acusa as autoridades birmanesas de continuar com o recrutamento "ilegal" de menores e diz que também seis grupos armados de diferentes etnias usam meninos soldado nas suas milícias.

"É impossível conhecer um número [exato] de crianças recrutadas como soldados pelo exército, em parte porque isso acontece em áreas de conflito pouco acessíveis", disse à agência espanhola Efe a diretora de Assuntos Políticos da organização, Lata Hogg.

Segundo a responsável, este ano foram já recebidas informações de que as autoridades birmanesas utilizaram menores nas linhas de batalha nos estados de Shan e Kachín, apesar de o governo civil que substituiu a Junta Militar em 2011 ter prometido terminar com esta prática e ter libertado do serviço 646 menores desde 2012.

Ainda assim, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), 357 menores foram recrutados pelas Forças Armadas em 2014.

Depois de quase meio século governada por generais, a Birmânia começou em 2011 um período de reformas políticas, económicas e sociais e negociações de paz com os exércitos das minorias.

Uma maior autonomia é a reivindicação principal de quase todas as minorias étnicas birmanesas, que incluem os shan, karen, rakhine, mon, chin, kackhin, kayah e kokang, e representam mais de 30% dos 53 milhões de habitantes do país.

Lusa

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Os Simpsons já sabiam em 1998 que a Fox iria pertencer à Disney

    Cultura

    Os Simpsons acertaram outra vez. Algo que tem acontecido regularmente nos últimos tempos, com a eleição de Donald Trump, o aparecimento do vírus Ébola ou o escândalo dos Panama Papers. Desta vez, a previsão remonta a 1998, quando a série previu que a 20th Century Fox iria pertencer à Disney.

    SIC