sicnot

Perfil

Mundo

Polícia nepalesa detém manifestantes que tentavam impor greve nacional

A polícia nepalesa deteve hoje dezenas de manifestantes que tentavam impor uma greve nacional, a mais recente paralisação de uma série de protestos contra a nova Constituição, noticiou a Agência France-Presse (AFP).

© Navesh Chitrakar / Reuters

"Prendemos 51 quadros em Katmandu que tentavam bloquear estradas, vandalizar veículos e fechar estabelecimentos comerciais", disse à AFP o porta-voz da polícia Bishwo Raj Pokharel.

De acordo com a Constituição, elaborada após anos de disputas políticas, o Nepal será reestruturado num estado federal com seis províncias.

Mas alguns legisladores e os seus apoiantes apelaram para a realização de uma greve nacional, alegando que a lei fundamental discrimina comunidades historicamente marginalizadas.

"A reconstrução do Estado que consta do projeto está longe de responder às aspirações do povo", disse Pampha Bhusal, porta-voz do movimento CPN-Maoísta, uma fação dissidente do partido maoísta.

"Não assegura a participação política dos grupos marginalizados nos organismos estatais", acrescentou.

Centenas de nepaleses protestaram na semana passada contra a Constituição, lei há muito esperada, em manifestações que acabaram por provocar confrontos violentos, incluindo dois mortos.

O acordo político sobre as fronteiras foi obtido após o devastador sismo de abril passado que ajudou a pôr um fim à briga aparentemente interminável entre partidos rivais.

Os trabalhos para a elaboração de uma nova Constituição começaram em 2008, sucedendo a uma longa década de insurgência maoísta que causou a morte a perto de 16.000 pessoas e derrubou a monarquia hindu de 240 anos.

No passado domingo foi anunciado que os partidos políticos nepaleses tinham assinado um acordo considerado decisivo e que abria caminho à redação de uma nova Constituição, criando uma divisão do território em várias províncias.

Na altura, o primeiro-ministro, Sushil Koirala, escreveu na rede social Twitter que estavam garantidas "uma Constituição federal e a demarcação de fronteiras".

Após o devastador sismo de abril, os partidos políticos nepaleses tinham selado, em junho, um acordo considerado histórico que visava dividir o território em oito províncias, mas a operação para traçar fronteiras, tida como delicada, ficou programada para mais tarde.

O acordo que abre caminho a toda a elaboração da Constituição foi assinado no dia 08 e prevê a criação de seis províncias que partilharão, cada uma, fronteira com a Índia.

Lusa

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC