sicnot

Perfil

Mundo

Ataque que fez 16 mortos em Banguecoque visou prejudicar turismo, diz ministro da Defesa tailandês

O atentado à bomba que matou esta segunda-feira pelo menos 16 pessoas em Banguecoque visava "atingir estrangeiros e prejudicar a economia e o turismo", afirmou o ministro da Defesa tailandês, Prawit Wongsuwong.

A bomba explodiu no interior de um templo no centro de Banguecoque.

A bomba explodiu no interior de um templo no centro de Banguecoque.

© Kerek Wongsa / Reuters

"Foi uma bomba de TNT, as pessoas que o fizeram queriam atingir estrangeiros e prejudicar o turismo e a economia", disse o ministro.

Pelo menos 16 pessoas morreram no ataque, segundo um novo balanço da polícia.

Um primeiro balanço dava conta de 10 mortos.

A bomba explodiu no interior de um templo no centro de Banguecoque.

Partes de corpos, vidros partidos e destroços de motas encontravam-se espalhados pela rua após a explosão, ocorrida às 19:00 horas locais (12:00 horas de Lisboa) no Templo de Erawan, no bairro de Chidlom da capital tailandesa.

"Posso confirmar que foi uma bomba, mas ainda não posso dizer de que tipo, estamos a confirmar", declarou à agência France Presse o porta-voz da polícia tailandesa, Prawut Thavornsiri.

O templo de Erawan, dedicado à divindade hindu Brahma, é bastante popular, sendo inclusivamente visitado por milhares de devotos budistas diariamente.

O edifício situa-se na principal rua da zona comercial da cidade, e é rodeado por três centros comerciais de grandes dimensões, além de hotéis de cadeias ocidentais.

Lusa

  • "É preciso despartidarizar o sistema de Proteção Civil", diz Duarte Caldeira
    2:47
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • Arcebispo de Braga pede responsabilidades pelos incêndios
    1:40

    País

    Braga também sofreu um dos mais violentos incêndios dos últimos anos. O fogo descontrolado atravessou várias freguesias e destruiu duas empresas. A igreja, pela voz do arcebispo de Braga, pede ação e o apuramento de responsabilidades, face a esta calamidade.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06