sicnot

Perfil

Mundo

Ataque que fez 16 mortos em Banguecoque visou prejudicar turismo, diz ministro da Defesa tailandês

O atentado à bomba que matou esta segunda-feira pelo menos 16 pessoas em Banguecoque visava "atingir estrangeiros e prejudicar a economia e o turismo", afirmou o ministro da Defesa tailandês, Prawit Wongsuwong.

A bomba explodiu no interior de um templo no centro de Banguecoque.

A bomba explodiu no interior de um templo no centro de Banguecoque.

© Kerek Wongsa / Reuters

"Foi uma bomba de TNT, as pessoas que o fizeram queriam atingir estrangeiros e prejudicar o turismo e a economia", disse o ministro.

Pelo menos 16 pessoas morreram no ataque, segundo um novo balanço da polícia.

Um primeiro balanço dava conta de 10 mortos.

A bomba explodiu no interior de um templo no centro de Banguecoque.

Partes de corpos, vidros partidos e destroços de motas encontravam-se espalhados pela rua após a explosão, ocorrida às 19:00 horas locais (12:00 horas de Lisboa) no Templo de Erawan, no bairro de Chidlom da capital tailandesa.

"Posso confirmar que foi uma bomba, mas ainda não posso dizer de que tipo, estamos a confirmar", declarou à agência France Presse o porta-voz da polícia tailandesa, Prawut Thavornsiri.

O templo de Erawan, dedicado à divindade hindu Brahma, é bastante popular, sendo inclusivamente visitado por milhares de devotos budistas diariamente.

O edifício situa-se na principal rua da zona comercial da cidade, e é rodeado por três centros comerciais de grandes dimensões, além de hotéis de cadeias ocidentais.

Lusa

  • Novas buscas no Universo Espírito Santo

    Queda do BES

    O Ministério Público voltou a fazer buscas no âmbito dos processos do Universo Espírito Santo. A SIC sabe que ontem e hoje os investigadores recolheram provas em diversos locais do continente e também na Madeira, nomeadamente em residências, empresas e entidades bancárias.

    Notícia SIC

  • Visitar a região afetada pelo fogos é uma forma de ajudar na recuperação
    3:07
  • Carvalhal do Sapo tenta recuperar a vida normal após incêndio
    2:33

    País

    As populações das aldeias de Góis tentam voltar à normalidade, ao fim de vários dias rodeadas por um grande dispositivo de operacionais. A repórter Cristina Freitas esteve hoje em Carvalhal do Sapo, onde se realizou mais um funeral de uma das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande.

  • Falta de médicos e de ofertas de emprego preocupa habitantes da Guarda
    5:13
  • "Do ponto de vista interno a candidatura do Porto é a melhor" 
    0:50

    País

    António Costa admite que a candidatura da cidade do Porto para receber a Agência Europeia do Medicamento seria a melhor para Portugal. No entanto o primeiro-ministro diz que é preciso avaliar se a candidatura do Porto é a que tem mais hipóteses de ganhar, quando comparada com outras cidades europeias. 

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43