sicnot

Perfil

Mundo

Ataque que fez 16 mortos em Banguecoque visou prejudicar turismo, diz ministro da Defesa tailandês

O atentado à bomba que matou esta segunda-feira pelo menos 16 pessoas em Banguecoque visava "atingir estrangeiros e prejudicar a economia e o turismo", afirmou o ministro da Defesa tailandês, Prawit Wongsuwong.

A bomba explodiu no interior de um templo no centro de Banguecoque.

A bomba explodiu no interior de um templo no centro de Banguecoque.

© Kerek Wongsa / Reuters

"Foi uma bomba de TNT, as pessoas que o fizeram queriam atingir estrangeiros e prejudicar o turismo e a economia", disse o ministro.

Pelo menos 16 pessoas morreram no ataque, segundo um novo balanço da polícia.

Um primeiro balanço dava conta de 10 mortos.

A bomba explodiu no interior de um templo no centro de Banguecoque.

Partes de corpos, vidros partidos e destroços de motas encontravam-se espalhados pela rua após a explosão, ocorrida às 19:00 horas locais (12:00 horas de Lisboa) no Templo de Erawan, no bairro de Chidlom da capital tailandesa.

"Posso confirmar que foi uma bomba, mas ainda não posso dizer de que tipo, estamos a confirmar", declarou à agência France Presse o porta-voz da polícia tailandesa, Prawut Thavornsiri.

O templo de Erawan, dedicado à divindade hindu Brahma, é bastante popular, sendo inclusivamente visitado por milhares de devotos budistas diariamente.

O edifício situa-se na principal rua da zona comercial da cidade, e é rodeado por três centros comerciais de grandes dimensões, além de hotéis de cadeias ocidentais.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.