sicnot

Perfil

Mundo

Dezenas de mensagens eletrónicas de Hillary Clinton classificadas como "confidenciais"

Dezenas de mensagens eletrónicas de Hillary Clinton, tornadas públicas e referentes ao período em que exerceu funções como secretária de Estado dos Estados Unidos, foram classificadas como "confidenciais", disse hoje o Departamento de Estado.

© Jim Young / Reuters

O porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby, explicou, em conferência de imprensa, que dos 3.500 correios eletrónicos divulgados, 63 "foram atualizados para o nível denominado confidencial".

John Kirby também reconheceu que o número de correios eletrónicos marcados como "informação sensível" continua a crescer, enquanto o Departamento de Estado analisa e publica por etapas as mais de 30.000 mensagens da antiga secretária de Estado.

"Sessenta e três em mais de 3.000. É realmente uma pequena percentagem", disse John Kirby.

Um inspetor-geral dos serviços secretos está, entre outros responsáveis, a trabalhar na classificação 'a posteriori' das mensagens eletrónicas de Hillary Clinton.

Hillary Clinton enviou e recebeu mais de 62.320 durante os quatro anos que esteve como secretária de Estado, entre 2009 e 2013, a partir de um endereço de correio eletrónico pessoal em vez de utilizar o do Governo.

A pedido do Departamento de Estado, a atual aspirante a candidata dos democratas para a Presidência norte-americana restituiu para o arquivo 30.490 mensagens eletrónicas profissionais.

Hillary Clinton considera que os restantes são pessoais e apagou-os do seu servidor privado.

O Departamento de Estado está atualmente a rever todas as mensagens eletrónicas oficiais de Hillary Clinton e já publicou 3.500, devendo todos ser tornados públicos até janeiro.

Lusa

  • Os momentos que marcaram o 7.º dia de Mundial
    1:08
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Os momentos descontraídos dos jogadores
    1:54
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49