sicnot

Perfil

Mundo

Ministro brasileiro defende diálogo e critica intolerância após manifestações

O ministro brasileiro da Comunicação Social, Edinho Silva, defendeu esta segunda-feira o diálogo da Presidente Dilma Rousseff com a sociedade e criticou a intolerância, um dia após protestos contra o Governo ocorrerem pelo país.

O ministro afirmou que Rousseff irá intensificar o diálogo com a sociedade e grupos políticos, e negou que seja tarde demais para essa abertura, ao ser questionado sobre a crise política. (Arquivo)

O ministro afirmou que Rousseff irá intensificar o diálogo com a sociedade e grupos políticos, e negou que seja tarde demais para essa abertura, ao ser questionado sobre a crise política. (Arquivo)

© Ueslei Marcelino / Reuters

"Há um ambiente de intolerância que temos de trabalhar para desfazer. O Brasil sempre conviveu com a diversidade religiosa, cultural e política", afirmou Silva em declarações à imprensa, realçando que a intolerância parte tanto de setores da coligação do governo como de opositores.

O ministro afirmou que Rousseff irá intensificar o diálogo com a sociedade e grupos políticos, e negou que seja tarde demais para essa abertura, ao ser questionado sobre a crise política.

Os protestos realizados no domingo contra o Governo Rousseff verificaram-se em cidades de todos os 25 Estados brasileiros, incluindo Brasília (região centro-oeste), São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte (sudeste), Curitiba (sul), Salvador e Recife (nordeste).

A Presidente, que reuniu-se ainda no domingo com quatro ministros para discutir o tema, voltou a convocar uma reunião para hoje, com integrantes da coordenação política do Governo, entre eles Edinho Silva.

O ministro da Comunicação Social afirmou também que o Governo trabalha para superar as dificuldades, com ações para a recuperação da economia e para o combate à corrupção. "Queremos um ambiente de otimismo, de acreditar no Brasil, na sua força. Se acreditarmos, em breve estaremos saindo das dificuldades, e voltando a crescer, e a gerar emprego", afirmou.

Ao ser questionado sobre a menor participação popular nas manifestações de domingo, em comparação com atos anteriores, Silva afirmo que os protestos foram "importantes" independentemente do número de presentes, e que o Governo os reconhece "como parte do regime democrático" que está a ser construído no Brasil.

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57