sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 16 mortos e vários feridos em explosão na Tailândia

A explosão de uma bomba no interior de um templo no centro de Banguecoque causou esta segunda-feira à tarde pelo menos 16 mortos e vários feridos, segundo o chefe da polícia da Tailândia.

© Chaiwat Subprasom / Reuters

"Há pelo menos dezasseis pessoas mortas e muitas feridas", afirmou o chefe da polícia tailandesa, Chakthip Chijinda, a um canal de televisão.

Partes de corpos, vidros partidos e destroços de motas encontravam-se espalhados pela rua após a explosão, ocorrida às 19:00 horas locais (12:00 horas de Lisboa) aparentemente no Templo de Erawan, no bairro de Chidlom da capital tailandesa.

"Posso confirmar que foi uma bomba, mas ainda não posso dizer de que tipo, estamos a confirmar", declarou à agência France Presse (AFP) o porta-voz da polícia tailandesa, o Tenente-General Prawut Thavornsiri.

Veículos de emergência compareceram imediatamente no local, e a polícia estabeleceu um perímetro de segurança, segundo a agência espanhola EFE.

Segundo meios de comunicação locais, as autoridades preparam-se para destruir um objeto suspeito na área com uma explosão controlada.

Num vídeo de uma câmara de segurança, publicado na rede social Twitter, vê-se o movimento nas ruas seguido do clarão intenso de uma explosão, que provoca a fuga dos presentes.

Fotografias mostram corpos no chão e uma cratera, presumivelmente causada pela explosão de uma bomba.

O Templo de Erawan, dedicado à divindade hindu Brahma, é bastante popular, sendo inclusivamente visitado por milhares de devotos budistas diariamente.

O edifício situa-se na principal rua da zona comercial da cidade, e é rodeado por três centros comerciais de grandes dimensões, além de hotéis de cadeias ocidentais.

Com Lusa

  • Vídeo 360º: nos céus de Lisboa como nunca esteve

    País

    Três Alpha Jet da Força Aérea Portuguesa estiveram presentes sobre o Jamor, durante a final da Taça entre o Benfica e o Vitória de Guimarães. A SIC e o Expresso acompanharam a passagem das aeronaves através da colocação de câmaras 360º no cockpit de duas delas.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • Gelado de champanhe no centro de mais uma polémica que envolve Ivanka Trump 

    Mundo

    A filha do Presidente Donald Trump está envolvida em mais uma polémica depois de uma publicação da sua marca no Twitter durante o Memorial Day, assinalado esta segunda-feira. Feriado nacional nos Estados Unidos, criado após a Guerra Civil, a data presta homenagem aos militares americanos que morreram em combate. Um dia solene, no qual muitos acolheram mal a dica da marca da atual conselheira da Casa Branca: "Façam gelados de champanhe".

  • Morreu Yoshe Oka, a "hibakusha" que avisou o Japão sobre o ataque a Hiroshima

    Mundo

    Yoshe Oka, a primeira sobrevivente de Hiroshima que informou por telefone as autoridades japonesas sobre a destruição da cidade, em 1945, morreu com 86 anos, vítima de cancro, revelou hoje a família. A "hibakusha", nome pelo qual são conhecidos os sobreviventes dos ataques a Hiroshima e Nagasaki, sofria de doenças relacionadas com os efeitos do bombardeamento. Apesar das consequências do ataque, Oka difundiu, ao longo da vida, a experiência sobre o bombardeamento tendo participado em inúmeros atos pacifistas.