sicnot

Perfil

Mundo

Presidente da Bolívia avisa de "golpe através do Congresso" no Brasil

O Presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou hoje que o governo da Presidente brasileira Dilma Roussef está a ser alvo de "agressão política" e de "um golpe através do Congresso".

© David Mercado / Reuters

"Sinto que a agressão a Dilma [Roussef] é política, um golpe através do Congresso", declarou em entrevista publicada hoje pelo diário argentino Página/12, citado pela agência espanhola EFE.

"Sinto que o império quer acabar com o património político do PT [Partido dos Trabalhadores]", afirmou, acrescentando que a agressão "já não é só contra Dilma, mas também contra [o ex-presidente] Lula [da Silva]".

Segundo Evo Morales, "há uma ofensiva contra os países com governos anti-imperialistas", com várias formas de "agressão política, como as chantagens e condicionamentos contra a Venezuela".

"Estamos preocupados com o caso da Venezuela, sobretudo pelos problemas económicos", afirmou.

Contudo, para o Presidente, "a posição bolivariana e revolucionária está firme, apesar das agressões políticas e económicas, ou das agressões parlamentares como no Brasil".

Evo Morales defende que "especialmente na América do Sul, os países são anti-imperialistas", e advertiu que "o império divide para derrotar os governos progressistas".

Lusa

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.