sicnot

Perfil

Mundo

Nova explosão em Banguecoque, sem causar vítimas

Um pequeno engenho explosivo foi atirado hoje perto de uma estação de metro no centro de Banguecoque sem causar vítimas, um dia depois de um atentado à bomba que matou 20 pessoas, indicou a polícia.

© Athit Perawongmetha / Reuters

"Ninguém foi morto ou ferido. A polícia está no local para investigar e procurar o tipo de dispositivo utilizado", disse à agência France Presse um oficial que não quis ser identificado.

O incidente ocorreu pouco depois das 13:00 locais (07:00 em Lisboa) numa zona turística da capital, perto de grandes hotéis.

Imagens do incidente divulgadas pela Thairath TV mostram passageiros do metro correndo numa passagem aérea (junto à estação de metro Saphan Taksin) depois do engenho ter explodido num canal próximo, criando uma coluna de água.

Segundo o mesmo oficial, a pequena bomba terá sido lançada de uma ponte rodoviária e ferroviária que atravessa o rio Chao Phraya de Banguecoque e da qual se vê o canal em causa.

O luxuoso hotel Shangri-La e o Mandarin Oriental, assim como a embaixada francesa estão próximos da estação Saphan Taksin.

Banguecoque está sob tensão devido ao atentado de segunda-feira que matou 20 pessoas, 11 das quais estrangeiros, e feriu mais de 20.

O ministro da Defesa tailandês, Prawit Wongsuwong, afirmou na segunda-feira que o atentado visava "atingir estrangeiros e prejudicar a economia e o turismo".

Lusa

  • Identificado suspeito de atentado na Tailândia

    Mundo

    O líder da junta militar tailandesa disse hoje que as autoridades procuram um "suspeito", que aparece nas gravações das câmaras de videovigilância, no local, em Banguecoque, onde explodiu uma bomba que matou pelo menos 21 pessoas e feriu 123.

  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.