sicnot

Perfil

Mundo

Residentes homenageiam vítimas uma semana após explosões em Tianjin

Uma semana depois das explosões que mataram 114 pessoas em Tianjin, na China, os residentes prestam homenagem às vítimas.

Flores e velas foram deixadas perto do hospital que recebe a maioria dos feridos.

Flores e velas foram deixadas perto do hospital que recebe a maioria dos feridos.

© Kim Kyung Hoon / Reuters

Flores e velas foram deixadas perto do hospital que recebe a maioria dos feridos. O mesmo aconteceu em outras zonas da cidade, como em abrigos temporários, ou no local onde ocorreram as duas explosões.

Mais de 700 pessoas ficaram feridas e 57 continuam desaparecidas, na maioria bombeiros.

  • Confirmadas toneladas de cianeto na zona das explosões na China
    2:14

    Mundo

    Centenas de toneladas de cianeto estavam armazenadas no armazém de Tianjin, no norte da China, onde, esta semana, ocorreram violentas explosões. Esta é a primeira confirmação oficial da presença de químicos perigosos no local. A contagem de vítimas do acidente industrial está já nos 112 mortos. Há ainda perto de 100 desaparecidos.

  • Revelada ligação entre empresa de armazéns em Tianjin e governo local
    1:58

    Mundo

    A revista económica chinesa Caijing escreve hoje que quem realmente controla a empresa proprietária do terminal de contentores do porto de Tianjin, onde se registaram fortes explosões, é o filho de um antigo alto dirigente do governo local. Entretanto a Toyota anunciou a suspensão temporária da produção em três fábricas da China devido aos efeitos das explosões. Duas das três linhas de produção da marca japonesa estão localizadas perto do local do acidente e por isso tiveram de ser evacuadas. A explosão de quarta-feira que fez 114 vítimas mortais levou, esta manhã, centenas de moradores às ruas que ficaram com as casas destruídas e reclamam respostas e o apoio do governo.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.