sicnot

Perfil

Mundo

Estado Islâmico decapitou arqueólogo especialista em Palmira

O grupo autoproclamado Estado Islâmico decapitou o antigo chefe do Departamento de Museus e Antiguidades da cidade de Palmira, na Síria, com 82 anos, informou o atual detentor do cargo.

Uncredited

Fotos que mostram o corpo de Khaled al-Assaad preso a um poste em Palmira foram colocadas na Internet por apoiantes do Estado Islâmico.

O atual chefe do Departamento de Museus e Antiguidades, Maamoun Abdelkarim, disse à AFP que Assaad foi executado pelo grupo 'jihadista' na terça-feira, em Palmira, na província de Homs.

"O Daesh (Estado Islâmico) executou um dos maiores especialistas em antiguidades da Síria", afirmou Abdelkarim.

"Foi o chefe das antiguidades de Palmira por mais de 50 anos e estava reformado há 13. Tinha 82 anos", acrescentou.

Abdelkarim disse que o corpo do especialista foi pendurado nas ruínas de Palmira depois de ter sido decapitado.

No entanto, a foto que circula 'online' mostra um corpo numa estrada, atado ao que parece ser um poste de iluminação.

Um cartaz junto ao corpo identifica-o como sendo Assaad.

O grupo acusa-o de ser leal ao regime sírio, ao representar o país em conferências no estrangeiro com "infiéis".

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.