sicnot

Perfil

Mundo

Incêndio causa danos avultados no museu de ciência de Paris

EM ATUALIZAÇÃO

O incêndio de grande dimensão que deflagrou esta madrugada na "Cité des Sciences", em Paris, o maior museu de ciência da Europa, provocou avultados danos materiais, indicaram fontes oficiais.

Vista aérea sobre "Cité des Sciences", em Paris. (Arquivo)

Vista aérea sobre "Cité des Sciences", em Paris. (Arquivo)

© Charles Platiau / Reuters

Mais de 120 bombeiros estão no local a combater as chamas e dois deles sofreram ferimentos ligeiros.

O edifício que alberga o museu começou a arder pelas 2:30 (1:30 em Lisboa) e, apesar de os bombeiros já terem conseguido controlar as chamas no interior, mantêm-se ativos alguns focos de incêndio.

Segundo as primeiras estimativas, cerca de 10 mil metros quadrados do edifício terão sido afetados pelas chamas.

O trabalho dos bombeiros está a ser dificultado pelas características do próprio museu, dentro do qual o fogo gerou um significativo aumento de temperatura.

Um porta-voz explicou que o sistema de alarme anti-incêndios estava desligado porque o edifício estava em obras, para transformar uma das alas em centro comercial.

As chamas, visíveis do telhado do edifício, levaram à interrupção da circulação de algumas linhas de transportes públicos da capital francesa.

Lusa

  • Incêndio mata 5 irmãos em França
    0:58

    Mundo

    Em França esta páscoa fica marcada por dois incêndios, ambos com vítimas mortais: num dos incêndios morreram 5 crianças com idades entre os dois e os 10 anos. Num outro incêndio, nos arredores de Paris, 3 pessoas morreram e 15 ficaram feridas. As autoridades suspeitam que tenha havido mão criminosa.

  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.