sicnot

Perfil

Mundo

Presidente da Câmara de Tianjin assume responsabilidade por explosões

O presidente da câmara da cidade chinesa de Tianjin, Huang Xingguo, assumiu na quarta-feira a responsabilidade pelas explosões ocorridas no terminal de contentores há uma semana, informou a agência oficial Xinhua.

As explosões, cuja causa ainda não foi revelada, aconteceram num armazém da companhia Ruihai International Logistics, pouco antes da meia-noite do passado dia 12 de agosto, e causaram pelo menos 114 mortos, mais de 700 feridos e 65 desaparecidos, números que oscilam diariamente.

As explosões, cuja causa ainda não foi revelada, aconteceram num armazém da companhia Ruihai International Logistics, pouco antes da meia-noite do passado dia 12 de agosto, e causaram pelo menos 114 mortos, mais de 700 feridos e 65 desaparecidos, números que oscilam diariamente.

© Kim Kyung Hoon / Reuters

"Como chefe do governo municipal e do Partido [Comunista] em Tianjin, tenho uma responsabilidade inquestionável", disse Huang.

As explosões, cuja causa ainda não foi revelada, aconteceram num armazém da companhia Ruihai International Logistics, pouco antes da meia-noite do passado dia 12 de agosto, e causaram pelo menos 114 mortos, mais de 700 feridos e 65 desaparecidos, números que oscilam diariamente.

Entre os desaparecidos estão vários bombeiros, bem como entre os mortos, a quem Huang chamou "heróis".

O presidente da Câmara instou a que se aplique "tolerância zero" à empresa e às pessoas responsáveis pelo ocorrido "sem se ter em conta quem são e que contactos têm".

Vários dirigentes de nível médio do porto estão a ser investigados e o organismo anticorrupção do Partido Comunista abriu inquéritos sobre Yang Dongliang, responsável pela Segurança Laboral do país, e Xiong Yuehui, um alto cargo do Ministério de Proteção do Meio Ambiente.

Xiong Yuehui foi vice-presidente da Câmara de Tianjin, sob as ordens do atual vice-primeiro-ministro chinês, Zhang Gaoli, um dos sete membros do Comité Permanente do Partido Comunista.

As investigações a Yang e Xiong não foram oficialmente ligados às explosões.

Huang sublinhou que são necessários "mais cálculos" para avaliar os danos causados pelas explosões, mas garantiu que não vão afetar os pilares da economia de Tianjin cujo porto é o mais importante do norte da China.

"Nas áreas afetadas só há 176 empresas e a maioria delas não realizava negócios de importação e exportação", acrescentou.

A agência de 'rating' Fitch Ratings estimou há dos dias um possível custo entre "1.000 e 1.500 milhões de dólares" (898 e 1.346 milhões de euros) para as seguradoras, e considerou que a tragédia pode tornar-se "uma das indemnizações por catástrofe mais dispendiosas" para o setor na China, nos últimos anos.

Lusa

  • Revelada ligação entre empresa de armazéns em Tianjin e governo local
    1:58

    Mundo

    A revista económica chinesa Caijing escreve hoje que quem realmente controla a empresa proprietária do terminal de contentores do porto de Tianjin, onde se registaram fortes explosões, é o filho de um antigo alto dirigente do governo local. Entretanto a Toyota anunciou a suspensão temporária da produção em três fábricas da China devido aos efeitos das explosões. Duas das três linhas de produção da marca japonesa estão localizadas perto do local do acidente e por isso tiveram de ser evacuadas. A explosão de quarta-feira que fez 114 vítimas mortais levou, esta manhã, centenas de moradores às ruas que ficaram com as casas destruídas e reclamam respostas e o apoio do governo.

  • Explosões em Tianjin, na China afetam economia
    1:37

    Mundo

    As explosões no porto de Tianjin, há precisamente uma semana, já causaram prejuízos de quase mil milhões de euros. Um impacto negativo na economia chinesa que pode durar vários meses. Entretanto está também em curso uma investigação ao ministro chinês da Segurança do Trabalho, suspeito de corrupção e violação das leis.

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.