sicnot

Perfil

Mundo

Autor do ataque no comboio em França com ligações a extremistas islâmicos

O marroquino que ontem abriu fogo num comboio em França - e foi neutralizado por dois militares norte-americanos - estava referenciado por ligações ao islamismo radical e morou um ano em Espanha, até 2014, e fez uma curta passagem pela Síria.

© Pascal Rossignol / Reuters

De acordo com fontes dos serviços anti-terrorismo de Espanha, citadas hoje pelo El País, o jovem marroquino de 26 anos, Ayoub El Kahzzani, aparece nos registos como um islamita radical. O homem "manteve residência" em Espanha durante um ano, até 2014, antes de regressar a França. As mesmas fontes explicam que pouco depois viajou para a Síria, onde esteve pouco tempo, e regressou novamente a França.

Na sexta-feira, Ayoub El Kahzzani entrou num comboio que fazia o trajeto Amesterdão (Holanda) - Paris armado com uma espingarda automática Kalashnikov com nove carregadores de munições, uma pistola e uma faca.

Segundo conta o El País, pouco depois das 18:00 o homem entrou numa casa de banho e começou a carregar a arma, mas dois militares norte-americanos que seguiam como passageiros no comboio - Spencer Stone e Alex Skarlatos, respetivamente da Força Aérea e da Guarda Nacional - reconheceram o som da arma a ser carregada e esperaram o homem à saída do cubículo.

Os dois militares conseguiram neutralizar o jovem, mas este ainda conseguiu disparar a arma. Um dos militares norte-americanos ficou ferido, tal como um outro passageiro. Um dos ferimentos foi causado por bala.

A procuradoria antiterrorista de Paris abriu uma investigação ao sucedido e o ministro do Interior [Administração Interna, em Portugal], Bernard Cazeneuve, admitiu que o incidente "pode ser de natureza terrorista". O jovem foi detido na estação de Arras, no norte de França, para onde o comboio tinha sido desviado.

Já hoje, o jovem marroquino foi levado para a sede da Subdireção Antiterrorista da Polícia francesa, nos arredores de Paris.

O ministro do Interior francês, que na noite de sexta-feira esteve no local dos acontecimentos, classificou o comportamento do atacante como "extremamente perigoso" e agradeceu a intervenção dos dois militares norte-americanos, que permitiu evitar "um drama terrível". A bordo do comboio seguiam 368 passageiros.

Em janeiro último, França foi o palco de um duplo atentado terrorista contra a redação do jornal satírico Charlie Hebdo e contra um supermercado judeu em Paris, nos quais morreram 17 pessoas e os três terroristas. Os atentados foram realizados por terroristas ligados à Al Qaeda no Iémen, no caso da revista, e ao DAESH (acrónimo árabe do autodenominado Estado Islâmico), no caso do supermercado.

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.