sicnot

Perfil

Mundo

Malásia encontra 19 valas com vítimas de tráfico humano

As autoridades da Malásia encontraram 19 valas na selva, na fronteira com a Tailândia, com os restos mortais de pelo menos 24 pessoas, consideradas vítimas de tráfico humano, informa hoje a imprensa local.

© Damir Sagolj / Reuters

A descoberta aconteceu na colina Wang Burma, perto de onde, em maio, foram encontradas mais de 100 sepulturas em campos clandestinos geridos por máfias, numa operação contra o tráfico de pessoas que desencadeou uma crise de refugiados na região.

A polícia malaia acredita que a má nutrição e os maus-tratos são a causa mais provável para a morte destes imigrantes, cujos restos mortais estavam enterrados a pouca profundidade.

"Tem chovido muito e a água pôs os corpos a descoberto. Não sabemos quanto tempo estiveram enterrados ou se este lugar foi um sítio de passagem", disse o presidente do Conselho Nacional de Segurança, Shahidan Kassim, citado pelo jornal The Star.

Os corpos foram exumados por uma equipa forense da polícia e transportados para o hospital de Alor Setar, no estado de Kedah, no noroeste do país.

As autoridades acreditam que as vítimas são do Bangladesh ou rohingyas, uma minoria muçulmana perseguida na Birmânia, que tentavam viajar para a Malásia em busca de trabalho.

Em maio, uma campanha contra o tráfico humano no sul da Tailândia, país de passagem habitual utilizado pelas máfias, pôs a descoberto uma rede de campos clandestinos na fronteira com a Malásia e dezenas de valas comuns com os restos mortais de imigrantes ilegais.

Semanas mais tarde, as autoridades malaias encontraram, a poucos metros do seu lado da fronteira, outras 139 valas e 28 campos também abandonados por traficantes.

Esta operação deixou milhares de imigrantes abandonados em barcos no golfo de Bengala, até que puderam desembarcar na Indonésia, Malásia ou regressar à Birmânia, país de onde vinham a maioria das embarcações.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.