sicnot

Perfil

Mundo

Merkel e Hollande pedem resposta europeia unificada à crise migratória

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, François Hollande, pediram hoje uma resposta "unificada" da Europa à crise migratória, numa declaração conjunta em Berlim.

© Axel Schmidt / Reuters


"Temos de aplicar um sistema unificado do direito ao asilo", disse Hollande numa breve declaração à imprensa ao lado de Merkel, sublinhando que o afluxo de refugiados de países em conflito "é uma situação excecional que vai durar algum tempo".

Angela Merkel, cujo governo divulgou na semana passada esperar 800.000 pedidos de asilo em 2015, afirmou que Berlim e Paris esperam que os países membros da UE apliquem as políticas de direito de asilo "o mais depressa possível".

Os dois líderes, que falavam antes de se reunirem em Berlim para avaliar a crise migratória, sublinharam por outro lado a importância de Grécia e Itália, países que recebem o maior número de refugiados, a abrirem até ao final do ano centros de registo de refugiados.

"Não podemos tolerar um atraso", disse Merkel.

Hollande frisou por seu lado que esses centros são "muito necessários" porque podem tomar "a decisão precisa", ou sejam selecionar os migrantes elegíveis para asilo e repatriar os que não estão nessas condições.

A Alemanha defende há muito tempo uma tal política, argumentando que cerca de 40% dos pedidos de asilo que recebe são apresentados por cidadãos dos Balcãs e que, para ajudar os refugiados da Síria, Iraque e algumas regiões de África, tem de poder filtrar mais facilmente os "migrantes económicos".

A Europa enfrenta um afluxo de migrantes sem precedentes, já qualificado por Bruxelas como a pior crise de refugiados mundial desde a II Guerra Mundial.

Segundo números oficiais, 107.500 migrantes chegaram à Europa só em julho, o triplo das chegadas registadas no mesmo mês de 2014.

No total, entre janeiro e julho, 340.000 migrantes chegaram à Europa, quase três vezes mais que nos mesmos sete meses de 2014 (123.500).

Lusa

  • Fronteira reaberta na Macedónia
    2:24

    Mundo

    A Macedónia está a deixar entrar os migrantes bloqueados na fronteira da Grécia. Mais de seis mil pessoas rumaram já para norte e estão agora concentradas na Sérvia, à espera de documentação para continuar a viagem até território da União Europeia.

  • Milhares de macedónios entram na Sérvia

    Mundo

    Mais de mil migrantes atravessaram a fronteira da Macedónia para a Sérvia. A pé, homens, mulheres e crianças, a maioria de origem síria, entraram em território sérvio já hoje ao início da manhã de hoje.

  • Mil refugiados entraram na Europa pela Macedónia e pela Sérvia
    1:47

    Mundo

    Cerca de mil refugiados conseguiram entrar na Europa, nas últimas horas, através das fronteiras da Macedónia e da Sérvia. Esta vaga migratória sem precentes levou o presidente da Comissão Europeia a lançar mais um aviso. Jean Claude Juncker exigiu que os Estados se deixem de desculpas e travem esta crise dos migrantes.

  • O perfil do homicida de Barcelos
    2:42

    País

    Adelino Gomes Briote já tinha sido condenado por ofensas à integridade física da sogra e de uma filha. Em seis meses esta foi a segunda vez que o homem acusado do quádruplo homicídio em Barcelos esteve perante a justiça.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.

  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.

  • Guerra na Síria não dá tréguas
    1:51

    Mundo

    Na Síria e ao mesmo tempo que decorrem novas negociações de paz, a guerra não dá tréguas. As imagens mostram o resultados dos últimos raides aéreos nos subúrbios de Damasco. O balanço provisório é de mais de 30 mortos e pelo menos 50 feridos.