sicnot

Perfil

Mundo

Presidente francês condecora "heróis do Thalys" com Legião de Honra

O presidente francês condecorou hoje com a Legião de Honra três passageiros norte-americanos e um britânico do comboio entre Amesterdão e Paris que, na sexta-feira, evitaram "uma verdadeira carnificina".

© Philippe Wojazer / Reuters

"Na sexta-feira à noite, um indivíduo tinha decidido cometer um atentado no Thalys [nome do comboio de alta velocidade que liga Amesterdão e Paris]. Possuía armas suficientes e munições para causar uma verdadeira carnificina", disse François Hollande.

"Era o que ele teria feito, se não o tivessem impedindo, correndo todos os riscos, incluindo o da própria vida", declarou Hollande, durante a cerimónia de condecoração, que decorreu no Eliseu.

"Como testemunho do nosso reconhecimento, atribuo-vos excecionalmente a Legião de Honra, a mais alta distinção" do Estado francês, sublinhou.

A cerimónia decorreu no terceiro dia da detenção preventiva do marroquino Ayub El Khazzani, que afirmou não pretender cometer qualquer ato terrorista.

Os investigadores das brigadas antiterroristas francesas continuam a interrogar o homem, de 25 anos, sinalizado pelos serviços de informações de Espanha, França, Alemanha e Bélgica.

Khazzani negou qualquer ato terrorista e afirmou que pretendia roubar os passageiros do 'Thalys'.

Esta versão é posta em causa pelos investigadores e pelos passageiros norte-americanos. A detenção preventiva pode manter-se até terça-feira à noite.

Os norte-americanos Spencer Stone, de 23 anos, Alek Skarlatos, de 22 - dois militares em férias - e o amigo Anthony Sadler, de 23, e o britânico Chris Norman, de 62, tornaram-se heróis planetários e foram condecorados com a Legião de Honra pelo presidente François Hollande.

A entrega da condecoração decorreu na presença dos primeiros-ministros belga, Charles Michel, e francês, Manuel Valls, e de vários ministros do governo socialista, incluindo o ministro do Interior, Bernard Cazaneuve. Representantes da polícia, dos serviços de socorro e médicos também assistiram à cerimónia.

O chefe de Estado francês prestou homenagem à "coragem e ao sangue-frio" destes quatro homens, que - disse - "encarnam o bem da humanidade" perante "o mal que é o terrorismo".

O passageiro francês que tentou, desde o início, neutralizar o suspeito - um homem de 28 anos que trabalha para um banco francês em Amesterdão e que quer manter o anonimato - e um franco-norte-americano Mark Moogalian, de 51 anos, ferido a tiro durante o ataque serão condecorados posteriormente, disse fonte do Eliseu.

Moogalian continua hospitalizado em Lille (norte de França).

De acordo com o inquérito, o atacante entrou no comboio de alta velocidade "na Bélgica com armas, sem dúvida adquiridas na Bélgica e tinha identificação obtida em Espanha".

O indivíduo viveu sete anos em Espanha, entre 2007 e 2014, onde era conhecido por defender a 'jihad' (guerra santa). De acordo com os serviços de informações espanhóis, o marroquino viajou de França para a Síria, o que o acusado negou.

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57