sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Sul desliga altifalantes na fronteira com o Norte

A Coreia do Sul desligou hoje os altifalantes que emitiam propaganda na fronteira contra o regime norte-coreano, depois de Seul e Pyongyang terem alcançado um acordo para travar o clima de tensão militar na península.

Reuters

"As retransmissões foram suspensas às 12:00 [04:00 em Lisboa] tal como foi acordado", informou um porta-voz do Ministério da Defesa de Seul à agência Efe, ressalvando, porém, que ainda não foram desinstalados.

O acordo selado horas antes por representantes de alto nível das duas Coreias prevê a suspensão das transmissões de propaganda sul-coreana contra a Coreia do Norte "a menos que suceda algo anormal".

Estas transmissões, consideradas como uma potente arma no quadro da "guerra psicológica" de Seul contra Pyongyang, figuraram como o principal foco de tensão nos últimos dias.

A Coreia do Sul colocou em funcionamento os altifalantes na semana passada -- quebrando o silêncio de 11 anos -- como represália contra a Coreia do Norte pela explosão de três minas que feriram gravemente dois soldados sul-coreanos que patrulhavam a fronteira.

No âmbito do acordo logrado ao fim de duas rondas de uma maratona negocial -- de dois dias e meio -- Pyongyang lamentou o incidente com as minas -- embora não reconhecendo explicitamente a sua autoria -- enquanto Seul aceitou desligar os altifalantes.

Com o fim da crise militar -- os contingentes de ambos os lados chegaram a estar em alerta após uma breve troca de tiros na zona fronteiriça na quinta-feira -- é esperada uma melhoria nas relações entre as duas Coreias que se comprometeram a manter conversações e a organizar a primeira reunião em mais de um ano e meio de famílias separadas desde a Guerra da Coreia (1950-53).

  • Negócios do fogo
    22:00

    Reportagem Especial

    Todos os anos, o Estado gasta centenas de milhões de euros para financiar os meios de combate aos incêndios. A reportagem especial da SIC denuncia falta de rigor e clareza em muitos dos negócios.

  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.