sicnot

Perfil

Mundo

Rei da Arábia Saudita visita os EUA em setembro

A Presidência norte-americana indicou hoje que o rei Salman da Arábia Saudita será recebido em Washington no início de setembro, naquela que será a sua primeira visita à Casa Branca desde que assumiu a liderança do reino petrolífero.

© Jim Bourg / Reuters

"O Presidente [Barack Obama] vai receber o rei da Arábia Saudita a 04 de setembro", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, a bordo do avião presidencial Air Force One, confirmando desta forma uma informação avançada por uma fonte diplomática de Riade.

Os esforços comuns dos dois países na "luta antiterrorista", bem como a evolução dos conflitos no Iémen e na Síria vão ser alguns dos temas em foco no encontro entre Obama e o rei saudita, precisou Josh Earnest, acrescentando que esta visita demonstra a importância da parceria estratégica entre Washington e Riade.

O rei Salman, que subiu ao trono saudita após a morte do seu meio-irmão Abdallah em janeiro último, não compareceu em maio passado numa cimeira organizada por Barack Obama na residência presidencial de Camp David.

O encontro Estados Unidos/Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) pretendia tranquilizar os países do Golfo (Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Koweit, Omã e Qatar) face ao programa nuclear do Irão e à crescente influência de Teerão naquela região.

Na altura, a ausência do rei saudita foi interpretada como um sinal de descontentamento por parte de Riade perante a perspetiva de um acordo entre o regime de Teerão e as potências ocidentais sobre o controverso programa nuclear iraniano.

A Arábia Saudita foi então representada pelo príncipe herdeiro Mohammed ben Nayef, bem como pelo filho do rei e ministro da Defesa saudita, o príncipe Mohammed ben Salman.

O acordo sobre o dossiê nuclear iraniano seria alcançado em Viena, Áustria, a 14 de julho.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.