sicnot

Perfil

Mundo

Rei da Arábia Saudita visita os EUA em setembro

A Presidência norte-americana indicou hoje que o rei Salman da Arábia Saudita será recebido em Washington no início de setembro, naquela que será a sua primeira visita à Casa Branca desde que assumiu a liderança do reino petrolífero.

© Jim Bourg / Reuters

"O Presidente [Barack Obama] vai receber o rei da Arábia Saudita a 04 de setembro", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, a bordo do avião presidencial Air Force One, confirmando desta forma uma informação avançada por uma fonte diplomática de Riade.

Os esforços comuns dos dois países na "luta antiterrorista", bem como a evolução dos conflitos no Iémen e na Síria vão ser alguns dos temas em foco no encontro entre Obama e o rei saudita, precisou Josh Earnest, acrescentando que esta visita demonstra a importância da parceria estratégica entre Washington e Riade.

O rei Salman, que subiu ao trono saudita após a morte do seu meio-irmão Abdallah em janeiro último, não compareceu em maio passado numa cimeira organizada por Barack Obama na residência presidencial de Camp David.

O encontro Estados Unidos/Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) pretendia tranquilizar os países do Golfo (Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Koweit, Omã e Qatar) face ao programa nuclear do Irão e à crescente influência de Teerão naquela região.

Na altura, a ausência do rei saudita foi interpretada como um sinal de descontentamento por parte de Riade perante a perspetiva de um acordo entre o regime de Teerão e as potências ocidentais sobre o controverso programa nuclear iraniano.

A Arábia Saudita foi então representada pelo príncipe herdeiro Mohammed ben Nayef, bem como pelo filho do rei e ministro da Defesa saudita, o príncipe Mohammed ben Salman.

O acordo sobre o dossiê nuclear iraniano seria alcançado em Viena, Áustria, a 14 de julho.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras