sicnot

Perfil

Mundo

Polícia espanhola faz buscas à sede do partido do presidente regional da Catalunha

A polícia espanhola realizou hoje buscas à sede de uma fundação do partido do presidente do governo regional da Catalunha, Artur Mas, por suspeitas de corrupção, numa operação a menos de um mês das eleições na região.

Manu Fernandez

O partido de Artur Mas, a Convergència Democràtica de Catalunya (CDC), apresenta-se nas eleições autonómicas de 27 de setembro com um programa que visa a independência da Catalunha.

A operação policial surge a poucas horas do primeiro grande ato de pré-campanha da coligação "Junts pel sí" (Juntos pelo Sim) - que integra a CDC, organizações da sociedade civil e vários partidos de esquerda.

Francesc Homs, conselheiro da presidência da Generalitat [Governo Regional da Catalunha], considerou hoje que a operação policial na Fundación CatDem é uma manobra "dos poderes do Estado" espanhol para prejudicar a CDC nas eleições.

"É um ato de campanha eleitoral com o intuito de prejudicar. Nada tem a ver com a vontade de obter justiça. É para prejudicar e montar um espetáculo televisivo. Esta não é a forma de agir de Estado democrático e de Direito", afirmou Homs em conferência de imprensa no parlamento catalão.

Homs assegurou que elementos do Estado avisaram as várias televisões na noite de quinta-feira de que a polícia iria fazer buscas, o que - no seu entender - prova a vontade de prejudicar a CDC.

A plataforma liderada pela CDC - a "Junts pel sí" - encara as eleições de 27 de setembro como um plebiscito sobre a independência da Catalunha. Caso obtenha a maioria no parlamento catalão, pretende iniciar um processo de separação da Catalunha no prazo de ano e meio.

A operação policial da Guardia Civil está enquadrada numa investigaçãao ao alegado pagamento de comissões ilegais de 3% à CDC pela construtora Teyco, propriedade da família Sumarroca, com ligações ao partido.

Agentes da Guardia Civil de Tarragona, Barcelona e Madrid fizeram buscas pouco depois das 13:00 na sede da CDC, para recolher documentação. Logo pela manhã tinham feito buscas na sede da Fundación Catalanista y Demòcrata (CatDem), vinculada ao mesmo partido, bem como a quatro câmaras municipais catalães (Sant Cugat, Figueres, Sant Celoni e Lloret de Mar) que, alegadamente, terão adjudicado obras em troca de comissões.

Fontes judiciais citadas pela imprensa espanhola indicam que - quando ocorreram os alegados ilícitos - todos estes municípios tinha gestão de autarcas da CiU - a coligação Convergência e União (CiU) que então era composta pelo CDC.

A Procuradoria Anticorrupção tem vindo a reunir provas sobre o pagamento de comissões na Catalunha após o ex-presidente da Generalitat Pasqual Maragall ter acusado publicamente a CiU "de ter um problema com os 3%".

O CDC é o maior partido da Catalunha desde 1980, e já esteve sob a alçada da justiça. O seu fundador, Jordi Pujol, presidente da Catalunha durante 23 anos, foi investigado em 2014 por alegada corrupção e fraude fiscal.

Lusa

  • Polémica sobre offshore intensifica guerra de palavras entre PSD e Governo
    2:39
  • DGO divulga hoje execução orçamental de janeiro

    Economia

    A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas de janeiro, sendo que o Governo estima reduzir o défice para 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional em 2017.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.