sicnot

Perfil

Mundo

Suspeitos de morte de 71 migrantes em camião detidos até 29 de setembro

Os quatro suspeitos da morte de 71 migrantes, cujos corpos foram encontrados na quinta-feira num camião abandonado numa autoestrada austríaca, ficarão detidos até 29 de setembro, decidiu hoje a justiça húngara.

© Laszlo Balogh / Reuters

"O período de detenção provisória dos quatro suspeitos foi prolongado até 29 de setembro", anunciou o juiz principal do tribunal de Kecskemét, Ferenc Bicskei, numa conferência de imprensa.

"Se a acusação não for apresentada até aquela data, o juiz considera que aquele período ainda pode ser prolongado", precisou o porta-voz do tribunal, Szabolcs Sarkozy.

Os suspeitos, três búlgaros -- o proprietário do camião e dois motoristas -- e um afegão, suspeitos de serem "os operacionais" de um gangue, foram presentes hoje ao tribunal de Kecskemét, cidade a meio caminho entre Budapeste e a fronteira sérvia, que se tornou um dos principais pontos de entrada na União Europeia para dezenas de milhares de migrantes.

O Ministério Público pediu que os quatro homens - dois com cerca de 30 anos e os outros dois com cerca de 50 - permaneçam sob custódia devido à "natureza excecional do crime, as subsequentes mortes de pessoas no tráfico de seres humanos e a perpetração do ato criminoso de traficar pessoas de forma profissional".

Segundo os primeiros elementos da investigação, as 71 vítimas -- 59 homens, oito mulheres e quatro crianças -- eram possivelmente migrantes sírios e terão morrido asfixiadas.

Lusa

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.