sicnot

Perfil

Mundo

Duas novas detenções no caso de cadáveres descobertos em camião na Áustria

Duas novas detenções foram feitas no âmbito da investigação sobre a descoberta na semana passada dos corpos de 71 migrantes num camião abandonado numa autoestrada do leste da Áustria, anunciaram hoje as autoridades austríacas.

Reuters

Um homem foi detido na Bulgária e outro na Hungria, declarou Verena Strnad, a porta-voz da procuradoria de Eisenstadt, no estado de Burgenland, onde o camião foi encontrado na quinta-feira.

Estão agora detidas sete pessoas no âmbito deste inquérito, seis das quais foram detidas na Hungria. Dos cinco que já estavam presos provisoriamente, quatro são búlgaros e um afegão.

A polícia considera que os suspeitos são operacionais de um dos numerosos gangues de traficantes de seres humanos que extorquem grandes somas de dinheiro aos migrantes para alcançarem a Europa.

Entre os 71 cadáveres encontrados no camião, encontrava-se o de uma rapariga de um ou dois anos, assim como os de três rapazes pequenos. Os migrantes eram possivelmente sírios e terão morrido asfixiados.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.