sicnot

Perfil

Mundo

Nova Iorque lança concurso para ver papa Francisco no Central Park

As autoridades de Nova Iorque decidiram criar uma espécie de "lotaria" para distribuir bilhetes para a procissão que será presidida este mês no Central Park pelo papa Francisco, no âmbito da sua primeira visita oficial aos Estados Unidos.

© Mike Segar / Reuters

"A 25 de setembro, o papa Francisco vai saudar os milhares de convidados durante uma procissão histórica em Central Park", indicou a câmara de Nova Iorque, num comunicado.

Devido à limitação do emblemático parque em Manhattan, os nova-iorquinos que quiserem assistir à cerimónia terão de obter bilhetes que serão posteriormente sorteados numa espécie de "lotaria" nos dias 03 e 07 de setembro na página na Internet da autarquia.

"A procissão em Central Park vai dar a milhares de nova-iorquinos a oportunidade de estar cara-a-cara com o papa Francisco", afirmou o presidente da câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, citado no mesmo comunicado.

"Estamos orgulhosos de receber na nossa cidade uma das vozes mais poderosas do mundo e estamos gratos à arquidiocese pela cooperação, dando a muitos nova-iorquinos a oportunidade de se juntarem a esta visita histórica", acrescentou o autarca.

O papa Francisco inicia a sua primeira visita oficial aos Estados Unidos no dia 22 de setembro.

Em Washington, o pontífice terá, no dia 23, um encontro com o Presidente Barack Obama e discursa, no dia seguinte, no Congresso norte-americano.

Francisco será o primeiro papa na história a dirigir-se às duas câmaras do Congresso norte-americano (Câmara dos Representantes e Senado).

Ainda na capital federal, Francisco reúne-se com bispos norte-americanos na catedral de São Mateus o Apóstolo e irá celebrar uma missa de canonização do Beato Junípero Serra (1713-1784), franciscano espanhol que evangelizou a Califórnia e o México no século XVIII.

O pontífice viaja depois para Nova Iorque onde terá uma agenda bastante carregada, incluindo a celebração das vésperas, no dia 24, com membros do clero na catedral São Patrício.

No dia seguinte, dia 25, o papa faz uma intervenção diante da Assembleia-geral das Nações Unidas, celebrando depois uma missa no complexo Madison Square Garden e a procissão no Central Park.

Ainda nesse dia, Francisco vai visitar o memorial e o museu dos atentados do 11 de setembro e uma escola primária centenária no bairro nova-iorquino de Harlem. O pontífice vai ainda encontrar-se com menores que entraram sozinhos e de forma ilegal nos Estados Unidos.

O papa deixa Nova Iorque no dia 26 de setembro e segue para Filadélfia, onde vai participar no encerramento do VIII Encontro Mundial de Famílias.

Antes de iniciar a visita aos Estados Unidos, Francisco desloca-se a Cuba.

O processo histórico do restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países, que estão separados unicamente pelos 150 quilómetros do Estreito da Florida e que viveram de costas voltadas durante mais de meio século, contou com a colaboração do Vaticano.

Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00
  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.

  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43