sicnot

Perfil

Mundo

Casa Branca obtém apoio suficiente do Senado para acordo com Irão

O Presidente norte-americano, Barack Obama, conseguiu esta quarta-feira reunir apoio suficiente do Congresso para garantir a aplicação do acordo internacional sobre o programa nuclear do Irão, quando um 34º senador anunciou votar a favor.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Jonathan Ernst / Reuters

A maioria dos congressistas norte-americanos opõe-se ao acordo, que aliviará sanções económicas impostas a Teerão enquanto impede o Irão de prosseguir o seu programa nuclear. Muitos republicanos advertem que o Irão avançará dissimuladamente para a construção da bomba atómica.

Se o Congresso aprovar uma resolução que desaprove o acordo, Obama vetá-la-á. Para ultrapassar o veto presidencial, será necessária uma maioria de dois terços, tanto no Senado, como na Câmara dos Representantes.

Com o apoio da senadora democrata Barbara Mikulski, o acordo conta agora com 34 apoiantes no Senado - o número necessário para manter o veto de Obama.

Mikulski disse hoje que, apesar de o acordo não ser perfeito, concluiu que "este Plano Conjunto de Ação Abrangente é a melhor opção disponível para impedir o Irão de ter uma bomba nuclear".

"O Congresso deve também reiterar o nosso empenho na segurança de Israel", acrescentou, contudo.

Os republicanos estão unidos na oposição ao acordo com o Irão, e dois senadores democratas seniores - Chuck Schumer e Robert Menendez -- opõem-se-lhe igualmente, bem como alguns democratas na Câmara dos Representantes, entre os quais Steve Israel, o elemento judeu de mais elevada hierarquia daquela câmara.

O Congresso deverá votar o acordo até ao final deste mês.

Lusa

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.