sicnot

Perfil

Mundo

Há canções proibidas pró-norte-coreanas em karaokes de Seul

Um deputado da Coreia do Sul chamou a atenção para a existência de canções que glorificam os líderes da dinastia Kim em aparelhos de karaokes em Seul, onde está proibida a apologia do regime norte-coreano, informou a estação SBS.

© Lucy Nicholson / Reuters

"Longa vida ao grande líder" ou "A nossa felicidade cresce sob o amor do líder" são dois exemplos de centenas de canções à disposição nos aparelhos de karaoke de algumas salas da capital e que têm feito soar alarmes entre os círculos conservadores do país.

O deputado Hong Moon-pyo, do partido governante Saenuri, denunciou a situação na quinta-feira na Assembleia Nacional (parlamento) e exigiu uma investigação por considerar que as canções violam a estrita Lei de Segurança Nacional da Coreia do Sul.

Aprovada em 1948 para combater o comunismo, a Lei de Segurança Nacional proíbe qualquer atividade "contra o Estado" que pretenda fazer propaganda dos ideais políticos da vizinha Coreia do Norte e contempla castigos desde o pagamento de multas até penas prisão.

Os aparelhos em questão estão presentes em salas de karaoke de alguns bairros em pleno centro de Seul, como Yeongdeungpo ou Guro, frequentados por imigrantes chineses de etnia coreana, um grupo que inclui muitos descendentes de norte-coreanos.

O karaoke é uma atividade bastante difundida tanto na Coreia do Sul como na Coreia do Norte, sendo que neste país a maioria das canções populares contêm mensagens de propaganda do regime estalinista da dinastia Kim.

Lusa

  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22