sicnot

Perfil

Mundo

Cidade em Fukushima declarada habitável depois de evacuada há quatro anos

A cidade japonesa de Naraha, na região de Fukushima, foi hoje declarada oficialmente habitável, após o levantamento da ordem emitida após o acidente nuclear de 11 de março de 2011.

© Issei Kato / Reuters

O regresso da vida a Naraha foi oficialmente assinalado à meia-noite, depois de uma vigília de velas ter ocupado um parque da cidade, segundo informações comunicadas pela autarquia através da sua página de Internet.

Os antigos habitantes (2.694 lares, 7.368 pessoas) tinham até à data o direito de voltar à cidade para preparar o respetivo regresso, mas só a partir de hoje se podem reinstalar totalmente.

Segundo a imprensa japonesa, apenas pouco mais de 10% se terão inscrito para regressar.

As autoridades estimam que o nível de exposição à radioatividade em Naraha, cidade localizada a cerca de 20 quilómetros da central de Fukushima Daiichi, tenha regressado a valores abaixo de 20 millisieverts por ano.

Este nível permite, em teoria, segundo o governo japonês e organismos internacionais, condições para os habitantes lá viverem, ainda que a descontaminação não esteja concluída.

Organizações ecologistas contestam estas conclusões. "O nível de contaminação é variável dentro desta localidade e consoante as casas, o que pode criar tensões entre pessoas", disse recentemente à AFP, Jan Vande Putte, da Greenpeace.

Cerca de 7.000 pessoas trabalham diariamente nos complicados trabalhos de desmantelamento da central e controlo dos resíduos radioativos.

O sismo de magnitude 9 na escala de Richter e consequente tsunami, que devastaram o nordeste do Japão a 11 de março de 2011, deixaram mais de 18 mil mortos e desaparecidos, e causaram na central de Fukushima Daiichi o pior acidente nuclear desde Chernobil (Ucrânia) em 1986.

O primeiro reator nuclear foi reativado no Japão a 11 de agosto, mais de quatro anos depois do acidente na central de Fukushima, que suspendeu a atividade em todas as centrais do país desde setembro de 2013.

Lusa

  • CDS quer que Governo revele detalhes do negócio do Novo Banco
    0:46

    Economia

    O CDS considera fundamental que o Governo revele os detalhes do negócio do Novo Banco para que pare com a especulação. Os centristas guardam uma posição política para depois de serem conhecidos os pormenores e lembram, mais uma vez, que o Executivo tem uma maioria parlamentar de Esquerda que o apoia.

  • ASAE faz doação de roupa apreendida
    1:15

    País

    A ASAE doou cerca de 200 peças de vestuário à Associação CAIS, apreendidas em ações de fiscalização. O valor destas peças é de quase 10 mil euros. Em 2016, a ASAE fez 100 ações de doação, um total de aproximadamente 14 mil peças.

  • PSD tem dúvidas sobre legalidade da taxa de proteção civil de Lisboa
    0:33

    País

    O PSD disse esta quarta-feira que a taxa de proteção civil da Câmara de Lisboa é um imposto e tem dúvidas sobre a legalidade. Numa reação ao envio deste diploma para o Tribunal Constitucional pelo Provedor de Justiça, os sociais-democratas deixaram ainda a promessa de acabar com a taxa, caso vençam as eleições na capital.

  • Conheça o Spa para recém-nascidos
    1:28

    Mundo

    Chama-se Baby Spa Perth e fica na Austrália. Nos últimos dias, o mundo ficou a conhecer este spa graças às fotografias dos bebés com as boias, que se tornaram virais nas redes sociais. O spa tem hidroterapia personalizada e massagens relaxantes. A boia, Bubby, permite que os bebés possam flutuar na água, sozinhos e em segurança.

    Patrícia Almeida

  • A rã que brilha no escuro
    2:08

    Mundo

    É a última descoberta do reino animal. Foi encontrada acidentalmente na Argentina uma nova espécie de rã, fluorescente.