sicnot

Perfil

Mundo

Homens armados matam 13 passageiros de dois veículos no Afeganistão

Homens armados mataram hoje a tiro 13 passageiros que seguiam em dois veículos na habitualmente tranquila província de Balkh, no norte do Afeganistão, enquanto o Presidente, Ashraf Ghani, organizava uma conferência de doadores internacionais em Cabul.

© Mohammad Ismail / Reuters

Os assassínios de elementos da minoria étnica Hazara não foram ainda reivindicados por qualquer grupo, mas acontecem quando se regista uma escalada nos ataques dos rebeldes talibãs, que atravessam um período de difícil transição na liderança.

"Os homens armados mandaram parar dois veículos, puseram em fila todos os passageiros do sexo masculino e mataram-nos a tiro", disse Jafar Haidari, governador do distrito de Zari, onde o incidente ocorreu.

"Pouparam a vida de uma mulher que estava num dos veículos. Todas as vítimas eram da minoria étnica Hazara", precisou.

O subchefe da polícia de Balkh, Abdul Razaq Qaderi, confirmou as mortes, acrescentando que as autoridades estão a investigar o incidente.

Os assassínios ocorreram enquanto o Presidente afegão implorava aos doadores internacionais a continuação do seu apoio, argumentando que "o país ferido" enfrentou uma série de desafios de segurança e económicos.

"Reconstruir o Afeganistão será uma tarefa a longo prazo", declarou Ghani numa conferência de doadores em Cabul, em que participam delegados ocidentais e organizações não-governamentais.

"O Afeganistão é um país ferido. Desemprego generalizado, uma rebelião violenta e o avanço do extremismo na região estão a aumentar a probabilidade de a nossa agenda de reformas económicas ser destruída pela instabilidade política", sustentou.

Lusa

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.