sicnot

Perfil

Mundo

Snowden critica Rússia, para onde "nunca teve intenção de ir"

O ex-consultor informático norte-americano Edward Snowden criticou hoje as limitações à liberdade de expressão na Rússia, país onde se refugiou e para onde explicou que "nunca teve intenção de ir".

© Charles Platiau / Reuters

Alvo de um mandado de captura por ter revelado pormenores dos programas de vigilância eletrónica dos Estados Unidos da América, Snowden falava por videoconferência por ocasião da sua distinção, em Mølde, na Noruega, com o prémio Bjørnson para a liberdade de expressão.

Inquirido sobre a situação dos direitos humanos e, em particular, sobre o controlo da internet pelas autoridades do país onde reside há dois anos, Snwoden mostrou-se pessimista.

"É dececionante, é irritante. Esta decisão do Governo russo de controlar cada vez mais a internet, controlar cada vez mais o que as pessoas veem, incluindo alguns aspetos da vida privada, para decidir qual é a forma adequada ou inadequada de expressarem o seu amor uma pela outra, não está apenas totalmente errada como não é o papel de qualquer Governo", sustentou.

Snowden recordou que residir na Rússia não foi uma escolha sua, mas uma vicissitude.

"Nunca tive intenção de ir para a Rússia, esse nunca foi o meu plano. Estava apenas de passagem, em direção à América Latina. Infelizmente, o meu passaporte foi congelado, foi cancelado pelos Estados Unidos", explicou.

O cidadão norte-americano, que abandonou em maio de 2013 o seu trabalho na ilha do Hawai para fazer revelações ao diário britânico The Guardian a partir de Hong Kong, frisou que a ideia de deixar a cidade chinesa em direção à Rússia lhe foi sugerida pelo fundador da Wikileaks, Julian Assange.

"Penso que a sua intenção era boa. Enquanto editor, ele estava a concentrar-se em primeiro lugar na minha segurança e, tendo uma fonte, interessava-lhe a proteção dessa fonte. Mas o problema é que eu não estava interessado na minha própria segurança, na minha própria proteção", observou.

"Nunca esperei ser hoje livre, esperava estar na prisão", acrescentou.

O ex-consultor informático da Agência Nacional de Segurança (NSA) norte-americana criticou todos os governos que ignoraram os seus pedidos de asilo, citando países "na Europa ocidental" - entre os quais a Noruega -, "na América Latina" e o Canadá.

"Pedi asilo a 21 países. Mantiveram-se todos em silêncio", recusando-se a analisar o pedido porque não tinha sido apresentado no seu território. A Rússia foi, aliás, um dos últimos países aos quais apresentei o meu pedido", sublinhou o cidadão norte-americano.

Lusa

  • Marcar cedo e resistir (ou como Portugal venceu Marrocos)

    Mundial 2018 / Portugal

    A seleção nacional alcançou hoje a primeira vitória no Mundial 2018, frente a Marrocos, em Moscovo. Cristiano Ronaldo (outra vez) marcou logo aos quatro minutos. Depois, Portugal pouco mais fez senão aguentar as investidas dos marroquinos, que ficam desde já afastados dos oitavos de final.

  • Fernando Santos dá um puxão de orelhas à equipa
    1:57
  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • Ronaldo, o motivador
    3:23
  • Os "memes" do desempenho de Cristiano Ronaldo frente a Marrocos
    1:25
  • Cristiano Ronaldo: o melhor do jogo, o melhor do Mundial, o melhor do mundo

    Mundial 2018 / Portugal

    Apesar da prestação de Rui Patrício na defesa da baliza lusa, Cristiano Ronaldo foi eleito o homem do jogo, pela segunda vez consecutiva, depois de marcar o golo que deu a vitória a Portugal frente a Marrocos. O capitão português ofereceu à equipa os três pontos essenciais para a eventual passagem aos oitavos de final. Mas Ronaldo não fica por aqui. Contas feitas, CR7 é o melhor marcador do Mundial (4 golos em 2 jogos) e já marcou 85 golos por Portugal, feito nunca antes alcançado nem por Eusébio nem por Pauleta. No auge dos 33 anos, há quem diga que Ronaldo "é como o vinho do Porto". Será que ainda vai chegar à marca dos 100? Parece que, para o CR7, nada é impossível.

  • Parecia que Rui Patrício tinha cola nas luvas
    5:40
  • Os momentos descontraídos dos jogadores que estão no Mundial
    1:54
  • Selecionador de Marrocos queixa-se da arbitragem
    1:41
  • Georgina Rodriguez assistiu ao jogo de Portugal e acenou a Ronaldo
    1:05
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49