sicnot

Perfil

Mundo

Merkel exige solidariedade de países europeus para acolher migrantes

De acordo com a Angela Merkel, a Alemanha é um país aberto "ao acolhimento de pessoas que precisam de ajuda, mas outros países europeus também podem acolhe-los e têm de garantir que o fazem respeitando os direitos humanos".

Reuters

A chanceler alemã, Angela Merkel, exigiu hoje solidariedade dos países europeus para fazer face à crise dos refugiados depois de, durante o fim de semana, se terem registado mais de 15 mil pedidos de asilo só na Alemanha.

"Só com a solidariedade europeia podemos superar este número", afirmou Merkel, ao apresentar hoje uma serie de medidas para assegurar o acolhimento de todos os refugiados que estão a chegar à Alemanha."Os perseguidos políticos devem encontrar apoio em todos os países europeus e não só na Alemanha", afirmou, lembrando que o acordo de Dublin permanece em vigor.

Merkel aproveitou a sua comparência perante a comunicação social para expressar o seu agradecimento às autoridades dos estados federais, dos municípios e aos milhares de voluntários que cooperaram para facilitar a chegada dos refugiados durante o fim de semana.

"A população em geral mostrou uma imagem do nosso país que nos permite sentir um pouco de orgulho", afirmou Merkel.

O vice-chanceler e ministro da Economia, Sigmar Gabriel, que compareceu conjuntamente com Merkel, disse que a Alemanha irá acolher este ano cerca de 800 mil refugiados e está disposto a enfrentar e superar esse número a longo prazo, mas é necessário o apoio de outros países europeus.

Gabriel acrescentou ainda que a situação atual irá ser enfrentada com um misto de confiança e realismo.

"Confiança porque as pessoas mostraram a sua disposição de ajudar e realismo porque temos que ter claro que também haverá problemas e conflitos e quanto mais abertamente falarmos disso mais êxito teremos em desmistificar os receios de alguns", disse Gabriel.

Os partidos do Governo acordaram na reunião que terminou esta madrugada uma serie de medidas que deverão passar no parlamento antes de final de outubro.

Entre essas medidas destinam-se 3.000 milhões de euros adicionais ao orçamento federal de 2016 para a ajuda aos refugiados. Esses fundos deverão ser repartidos entre os estados federais e os municípios.

Os estados federais vão ter mais 3.000 milhões destinados ao mesmo fim.

O orçamento de 2015 havia destinado a mil milhões de euros para o mesmo efeito.

  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.