sicnot

Perfil

Mundo

Antídotos contra mordeduras de cobras estão a esgotar-se

Alguns dos mais eficazes antídotos contra mordeduras de cobras estão a escassear pelo mundo inteiro, alertam os especialistas. Dezenas de mihares de pessoas podem estar em risco.

Reuters

O Fav-Afrique, capaz de neutralizar 10 tipos diferentes de mordedura de cobra na África sub-sariana, é "desesperadamente" necessáro, alertam os Médicos Sem Fronteiras (MSF), citados pela BBC.

O fabricante - Sanofi Pasteur - deixou de fabricar o produto o ano passado, mas garante, porém, que irá partilhar a receita com outros fabricantes. O último lote expira em junho do ano que vem e não há, por enquanto, qualquer substituto "tão eficaz", garante a MSF.

O fabricante está em negociações para a venda da tecnologia do antídoto a outras entidades, mas enquanto não estão finalizadas haverá um número "incontável" de mortes, alerta a MSF.

"A maioria das pessoas que são mordidas por uma cobra não sabem bem que cobra é, pelo que ter um antídoto capaz de combater uma grande número de venenos é realmente importante. Tememos que, sem um antídito disponível, morram pessoas desnecessariamente", avisa Polly Markandya, da organização MSF.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC