sicnot

Perfil

Mundo

Antídotos contra mordeduras de cobras estão a esgotar-se

Alguns dos mais eficazes antídotos contra mordeduras de cobras estão a escassear pelo mundo inteiro, alertam os especialistas. Dezenas de mihares de pessoas podem estar em risco.

Reuters

O Fav-Afrique, capaz de neutralizar 10 tipos diferentes de mordedura de cobra na África sub-sariana, é "desesperadamente" necessáro, alertam os Médicos Sem Fronteiras (MSF), citados pela BBC.

O fabricante - Sanofi Pasteur - deixou de fabricar o produto o ano passado, mas garante, porém, que irá partilhar a receita com outros fabricantes. O último lote expira em junho do ano que vem e não há, por enquanto, qualquer substituto "tão eficaz", garante a MSF.

O fabricante está em negociações para a venda da tecnologia do antídoto a outras entidades, mas enquanto não estão finalizadas haverá um número "incontável" de mortes, alerta a MSF.

"A maioria das pessoas que são mordidas por uma cobra não sabem bem que cobra é, pelo que ter um antídoto capaz de combater uma grande número de venenos é realmente importante. Tememos que, sem um antídito disponível, morram pessoas desnecessariamente", avisa Polly Markandya, da organização MSF.

  • Alianças do PS marcam discursos no Congresso do PS
    2:51
  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos. Depois de um curso intensivo de português durante três meses, os jovens vão iniciar o ano letivo em vários pontos do país.