sicnot

Perfil

Mundo

Aviões militares russos de carga e pessoal aterraram na Síria

Pelo menos três aviões de transporte militares russos aterraram na Síria nos últimos dias, disseram dirigentes dos EUA da área da Defesa à AFP, quando Washington se inquieta com um eventual envolvimento de Moscovo no país.

© Suhaib Salem / Reuters

Dois dos aviões são aparelhos de carga Antonov 124 Condor e o terceiro é de transporte de passageiros, ainda segundo estas fontes.

Os aviões aterraram num aeroporto da região de Latakia, no noroeste, um bastião do regime do Presidente Bashar al-Assad.

Os russos também colocaram nesta zona instalações provisórias, com capacidade de abrigar "centenas de pessoas", e equipamento aeroportuário.

"Tudo isto sugere a instalação de uma base aérea avançada", prosseguiu uma das fontes, especificando que não tinha informações sobre a eventual presença de armas russas no local.

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, falou no sábado com o seu homólogo russo, Serguei Lavrov, para lhe transmitir o seu receio de um risco de "escalada" do conflito, se Moscovo se envolver militarmente ao lado das tropas de Al-Assad, segundo o Departamento de Estado.

O regime de Damasco desmentiu a presença das tropas ou de atividades militares russas em solo sírio, depois de conhecidas as inquietações norte-americanas sobre um eventual envolvimento de Moscovo no país em guerra.

A Federação Russa garantiu, por seu lado, na segunda-feira, que "a parte russa nunca escondeu que fornece equipamentos militares às autoridades sírias para lutar contra o terrorismo", mas não quis detalhar a ajuda de Moscovo a Damasco.

Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00

    Reportagem Especial

    Todos os anos, o Estado gasta centenas de milhões de euros para financiar os meios de combate aos incêndios. A reportagem especial da SIC denuncia falta de rigor e clareza em muitos dos negócios.

  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.