sicnot

Perfil

Mundo

Cuba liberta mais de 3.500 presos antes da visita do Papa

As autoridades cubanas decidiram amnistiar mais de 3.500 prisioneiros por ocasião da visita à ilha caribenha do Papa Francisco, prevista para este mês, anunciou hoje o diário oficial Granma.

© Stringer Shanghai / Reuters

O Conselho de Estado, órgão supremo do executivo cubano, "decidiu libertar 3.522 prisioneiros por ocasião da visita da sua santidade, o papa Francisco", a decorrer entre 19 a 22 de setembro, indicou a publicação.

O diário Granma, órgão oficial do Partido Comunista cubano, recordou que Havana já tinha libertado perto de 3.000 prisioneiros durante a visita do papa Bento XVI em 2012 e cerca de 300 durante a deslocação à ilha de João Paulo II em 1998.

Entre os beneficiários da atual amnistia figuram prisioneiros com idade superior a 60 anos ou detidos com menos de 20 anos que não tenham antecedentes criminais.

Também estão abrangidos presos com doenças crónicas, mulheres, cuja liberdade condicional vigorava até finais de 2016, e estrangeiros, cujo país de origem assegura a extradição.

Salvo algumas "exceções humanitárias", são mantidos em regime de prisão os autores de homicídios, violações, atos de pedofilia, tráfico de droga e violações ou atentados à segurança do Estado.

Esta decisão entrará em vigor num prazo de 72 horas, precisou o jornal Granma.

Após a passagem por Cuba, Francisco desloca-se aos Estados Unidos, onde irá realizar uma visita oficial até 27 de setembro.

O processo histórico do restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países, que estão separados unicamente pelos 150 quilómetros do Estreito da Florida e que viveram de costas voltadas durante mais de meio século, contou com a colaboração do Vaticano.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.