sicnot

Perfil

Mundo

Incêndios obrigam ao estado de emergência na Califórnia

O estado de emergência foi declarado no domingo no norte da Califórnia, onde mais de 5.500 bombeiros continuam a combater as chamas de dois grandes fogos que obrigaram milhares de pessoas a fugir, segundo fonte dos bombeiros.

© Noah Berger / Reuters

"Há informação de que haverá uma vítima. A informação ainda tem de ser confirmada pelo xerife", publicou na rede social Twitter Daniel Berlant, porta-voz dos bombeiros durante a noite passada.

Horas antes, o governador Jerry Brown decretou o estado de emergência nos condados de Lake e Napa, regiões vinícolas situadas a norte de San Francisco, por causa de um incêndio de grande dimensão - o "Valley Fire".

Todas as escolas daqueles condados deverão continuar fechadas durante o dia de hoje, segundo as autoridades.

"Os prejuízos estruturais estão estimados em centenas de casas e edifícios" devido a este fogo e em mais de 200 por outro incêndio em Butte, perto de San Andreas, no leste de San Francisco, afirmou Daniel Berlant na sua conta de Twitter.

Segundo a agência noticiosa AFP, 46.500 hectares foram consumidos pelas chamas nos incêndios de Butte e Valley, que destruíram ou obrigaram ao encerramento de autoestradas e de outras infraestruturas cruciais.

Desde o início do ano arderam mais de 242.000 hectares de terreno, disse Daniel Berlant à AFP.

A Cruz Vermelha instalou abrigos para os desalojados, precisou o porta-voz de Calfire.

Segundo Berlant, cerca de 6.400 habitações continuam ameaçadas por estes dois grandes incêndios.

Quatro bombeiros sofreram queimaduras de segundo grau este fim de semana na Califórnia e continuavam no hospital.

No total, 13 bombeiros perderam a vida nos Estados Unidos desde o início do ano, segundo Jennifer Jones, porta-voz do serviço federal das Florestas.

Cerca de 70 bombeiros vindos da Austrália e da Nova Zelândia juntaram-se aos operacionais norte-americanos no oeste do país.

A situação foi agravada pela seca que dura há quatro anos.

A velocidade da propagação dos fogos é "a mais rápida" em 30 anos, declarou o diretor dos serviços de emergência da Califórnia, Mark Ghilarducci, no Twitter.

O ano de 2015 poderá ficar para a história como um dos piores anos nos Estados Unidos em termos de área ardida e de despesa no combate aos incêndios.

Até à data, o governo federal gastou 1,32 mil milhões de dólares no combate aos fogos, excluindo os fundos canalizados pelas agências locais, segundo o porta-voz do serviço federal das Florestas Jennifer Jones. O recorde data de 2002, com 1,65 mil milhões de dólares gastos no combate aos incêndios.

Mais de 36.000 quilómetros quadrados arderam nos Estados Unidos desde o início deste ano.

Em 2006, o recorde histórico, foram consumidos pelas chamas quase 40.000 quilómetros quadrados.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".