sicnot

Perfil

Mundo

México exige "responsabilidades" ao Egito após morte de turistas "por erro"

O Governo do México entregou hoje uma nota diplomática de protesto ao Egito pelo ataque "por erro" contra um grupo de turistas mexicanos perto do Cairo, na qual solicita uma investigação "rápida e exaustiva" e exige "responsabilidades".

© Amr Dalsh / Reuters

No domingo, 12 pessoas foram mortas, incluindo pelo menos dois mexicanos, e dez ficaram feridas num ataque aéreo de aviões e helicópteros militares egípcios que visou um grupo de turistas numa região oeste do deserto.

Já o sindicato de guias turísticos do Egito assinalou em comunicado que entre os 12 mortos estão oito cidadãos mexicanos, enquanto o primeiro-ministro interino do Egito, Ibrahim Mehleb, assegurava à agência noticiosa Efe que estão a ser fornecidos "os máximos cuidados" médicos aos feridos, após uma visita ao hospital onde estão internados. "Estamos muito tristes. É algo que afeta cada egípcio", disse.

Previamente, e em conferência de imprensa na Cidade do México, a chefe da diplomacia mexicana, Claudia Ruis Massieu, adiantou que o Governo egípcio lhe comunicou ter sido constituído um "comité de investigação" dirigido pelo primeiro-ministro em funções.

"Desde ontem [domingo] que estou em contacto com o embaixador do Egito no México, Yasser Shaban, e esta manhã recebi-o no ministério, onde foi entregue a nota diplomática na qual o Governo mexicano expressa a sua profunda consternação por estes deploráveis acontecimentos", afirmou a ministra.

Claudia Massieu exigiu a realização de uma "investigação expedita, exaustiva e de fundo, e que se proporcione sem demora uma explicação objetiva que estabeleça os factos e as responsabilidades que daí derivarem".

No protesto diplomático as autoridades mexicanas solicitam aos responsáveis egípcios que "forneçam a mais alta prioridade e urgência ao esclarecimento deste assunto, concedam as facilidades necessárias à embaixada do México no Cairo e ao seu pessoal no desempenho das suas funções e propiciem todos os apoios para o futuro repatriamento" das vítimas.

A ministra revelou ainda durante a conferência de imprensa que as forças de segurança egípcias atacaram "por erro" os turistas mexicanos através de um ataque aéreo e com bombas, segundo o testemunho dos sobreviventes.

As vítimas foram alvo "de um ataque aéreo com bombas lançadas desde um avião e helicópteros", disse, antes de esclarecer que até ao momento só estava confirmada a morte de dois mexicanos e que outros seis estavam hospitalizados e em situação "estável".

Por sua vez, o Ministério do Interior egípcio confirmou que pelo menos 12 pessoas morreram e dez ficaram feridas no ataque, entre mexicanos e egípcios que integravam o grupo, e indicou que a polícia e o exército "confundiram os turistas com terroristas".

O ataque ocorreu no domingo no oásis de Bahareya, no deserto ocidental do Egito, onde os turistas, que tinham chegado ao Cairo na sexta-feira, tinham parado para comer.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.