sicnot

Perfil

Mundo

UE prolonga sanções contra violação territorial e de soberania da Ucrânia

O Conselho da União Europeia (UE) prolongou por mais seis meses, até 15 de março de 2016, as sanções contra 149 pessoas e 37 entidades por violação da integridade territorial, soberania e independência da Ucrânia.

Reuters

Segundo um comunicado hoje divulgado, foram prorrogados o congelamento de bens e a proibição de viajar para a Europa a 149 pessoas e 37 entidades.

A UE considera não se justificar qualquer alteração no regime de sanções nem na lista de pessoas e entidades.

Uma revolta popular que afastou do poder o presidente pró-russo Vikton Ianukovich, em fevereiro de 2014, acontecimento que desencadeou o movimento de revolta no leste da Ucrânia.

A revolta resultou num conflito entre tropas ucranianas e as milícias pró-russas, que têm sistematicamente violado o cessar-fogo no leste da Ucrânia, palco de um conflito que fez aproximadamente 7.000 mortos, entre civis e combatentes, segundo os mais recentes dados da ONU.

A Crimeia foi entretanto anexada à Rússia, ato que é contestado pela ONU e pela UE, e os separatistas autoproclamaram a República Popular de Donetsk.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".