sicnot

Perfil

Mundo

Organizador de caçada do leão Cecil detido por contrabando de antílopes

O caçador zimbabueano que organizou a caçada na qual o dentista norte-americano Walter Palmer matou Cecil, o leão mais famoso do Zimbabué, foi detido por suspeita de contrabando de antílopes, informaram hoje fontes policiais locais.

© Philimon Bulawayo / Reuters

Theo Bronkhorst foi detido na segunda-feira depois de a polícia ter reunido informações que o envolviam na tentativa de transporte de 29 antílopes, avaliados em mais de 340 mil dólares (cerca de 300 mil euros), na fronteira com a África do Sul.

"Bronkhorst está acusado de transportar animais sem autorização e de ser cúmplice de contrabando de animais selvagens", explicou a porta-voz da polícia local, Charity Caramba, em declarações à emissora estatal Zimbabwe Broadcasting Corporation (ZBC).

No fim de semana, a polícia intercetou um veículo com três sul-africanos, com documentos falsos, que tentavam atravessar a fronteira sul-africana com estes animais, valiosos pelos seus grandes chifres.

O grupo ambientalista Bhejane Trust explicou que os animais eram oriundos de uma quinta propriedade de Theo Bronkhorst, perto das cataratas Victoria, na região noroeste do Zimbabué.

Durante a viagem, dois antílopes morreram por falta de ventilação no veículo. Os restantes animais estavam de boa saúde.

No próximo dia 28 de setembro, Theo Bronkhorst terá de comparecer em tribunal por causa da organização da caçada ilegal que levou à morte do mediático leão Cecil em julho passado no Parque Nacional de Hwange, na região oeste.

Aparentemente, Bronkhorst terá utilizado um engodo para atrair o leão fora do parque. Deste modo, e em termos técnicos, a caça do espécime seria legal.

A morte de Cecil gerou controvérsia a nível internacional sobre os limites da caça desportiva, um negócio bastante lucrativo que atrai pessoas de todo o mundo que desejam transformar animais selvagens em troféus.

A maioria dos países da África austral permite a caça desportiva, com a exceção do Botsuana, que decidiu proibir a prática da modalidade há alguns dias.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.