sicnot

Perfil

Mundo

Professora afegã distinguida com prémio Nansen para os Refugiados 2015

O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) distinguiu hoje a professora afegã Aqeela Asifi, que se dedicou à educação de raparigas refugiadas no Paquistão, com o prémio Nansen para os Refugiados 2015.

Reuters

Aqeela Asifi, de 49 anos, é professora de raparigas afegãs refugiadas na aldeia de Kot Chandana, em Mianwali, no Paquistão.

Com esta distinção, o ACNUR reconheceu a "dedicação corajosa e incansável" de Aqeela Asifi à missão de educar raparigas afegãs.

"Apesar dos escassos recursos e dos desafios culturais, Asifi conseguiu que perto de mil refugiadas tenham concluído a educação primária, acrescentou a organização em comunicado.

O alto comissário da ONU para os refugiados, António Guterres, declarou que "pessoas como Aqeela Asifi compreendem que as crianças refugiadas de hoje vão determinar o futuro dos seus países e o futuro do mundo (...) Investir na educação dos refugiados permitirá às crianças romper o ciclo de instabilidade e conflito".

Asifi era já professora quando foi obrigada a fugir de Cabul, com a família, em 1992.

Em Kot Chandana, não existiam escolas para raparigas, devido às tradições culturais que mantinham as mulheres em casa, e foi aí que Asifi começou a ensinar um punhado de alunas, numa escola improvisada sob uma tenda.

Para Aqeela Asifi, é preciso compreender que educar as raparigas desta geração vai transformar as oportunidades da geração seguinte.

"Quando se têm mães que frequentaram a escola, quase de certeza as futuras gerações serão educadas. Por isso, se educamos raparigas, educamos gerações. Desejava que um dia o Afeganistão fosse recordado não pela guerra, mas pelo elevado padrão de educação", afirmou a professora.

O Afeganistão é a maior e mais longa crise de refugiados no mundo. Cerca de 2,6 milhões de afegãos vivem presentemente no exílio e mais de metade são crianças.

O acesso à educação é vital para o êxito de uma repatriação, reinstalação ou integração local dos refugiados. No entanto, dados mundiais apontam para que apenas uma em cada duas crianças refugiadas consegue frequentar a escola primária e apenas uma em cada quatro frequenta o ensino secundário.

Para os refugiados afegãos no Paquistão, esta é uma realidade ainda mais longínqua: 80% das crianças não frequenta a escola.

O prémio Nansen para os Refugiados do ACNUR distingue o trabalho desenvolvido em prol das pessoas e comunidades forçadas a abandonar os seus países.

Entre os laureados contam-se a antiga primeira-dama norte-americana (1933-1945) Eleanor Roosevelt, a antiga primeira-dama moçambicana (1975-1986) Graça Machel e o cantor lírico italiano (1935-2007) Luciano Pavarotti.

A cerimónia de entregue do prémio vai realizar-se a 05 de outubro, em Genebra.

  • 6 polícias feridos e 4 detidos em manifestação pela morte de português em Londres
    1:29

    Mundo

    A manifestação começou ainda durante a tarde deste domingo, na capital britânica e culminou em violência, com 6 polícias feridos, 4 pessoas detidas e a evacuação de uma das principais estações de transportes da zona leste da Londres.Os manifestantes acusam a polícia britânica de agressão na noite de 15 de junho, quando um português, de 25 anos, foi mandado parar pela polícia. O jovem acabou por morrer no hospital 5 dias depois.

  • Novo avião da TAP a lembrar o passado
    1:32
  • Avião cruza-se com drone a 900 metros de altitude
    2:01

    País

    Um avião da TAP voltou a cruzar-se este domingo com um drone, enquanto se preparava para aterrar no aeroporto de Lisboa. A aproximação deu-se a 900 metros de altitude e passou muito perto da asa da aeronave. Este é o 10.º incidente com drones este ano e o 6.º este mês.

  • Os russos adoram Portugal
    2:48

    Taça das Confederações

    Os portugueses que foram à Rússia para a Taça das Confederações ficaram surpreendidos pela forma calorosa com que todos foram recebidos. Cristiano Ronaldo é o grande responsável por esta paixão pelo nosso país.

    Enviados SIC

  • Naufrágio na Colômbia registado em vídeo
    2:11

    Mundo

    Um barco de turismo naufragou na Colômbia, ontem à tarde. A bordo estavam cerca de 170 passageiros. Há pelo menos seis mortos confirmados e 28 pessoas continuam desaparecidas. O barco afundou-se ao largo de uma barragem, perante o olhar incrédulo de dezenas de pessoas.

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.