sicnot

Perfil

Mundo

Investigação britânica ao desaparecimento de Maddie já custou 14 M€

A investigação da polícia britânica ao desaparecimento em Portugal da criança inglesa Madeleine McCann já custou mais de 10 milhões de libras (14 milhões de euros), informou o secretário de Estado da Administração Interna.

© Alex Grimm / Reuters

Em resposta a uma questão feita pela Câmara dos Lordes, Michael Bates indicou que, até ao final de junho, o montante gasto ascendia a 10,1 milhões de libras, estando orçamentados para 2015 mais dois milhões de libras (três milhões de euros).

Madeleine McCann desapareceu poucos dias antes de fazer quatro anos, a 03 de maio de 2007, do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico, na Praia da Luz, no Algarve.

Foi após um apelo dos pais de Madeleine ao primeiro-ministro britânico que foi aberta em 2011 a "Operação Grange", nome da investigação britânica ao desaparecimento da criança britânica para rever toda a informação disponível.

No ano seguinte foi anunciada a abertura de um inquérito formal e o desejo de inquirir várias "pessoas de interesse", tendo sido enviadas cartas rogatórias a 30 países, incluindo Portugal.

Desde então, tem mantido uma equipa de agentes no caso, que já interrogaram vários suspeitos em Portugal e realizaram uma série de diligências, incluindo buscas numa área de terreno na Praia da Luz.

Lusa

  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.

  • PJ de Portimão deteve italiano foragido
    0:55

    País

    A Polícia Judiciária de Portimão deteve em Lagos um homem italiano que aguardava extradição. O antigo piloto de automóveis esteve foragido durante quase um ano, depois de ter cortado a pulseira eletrónica.