sicnot

Perfil

Mundo

UE registou mais de 210 mil novos pedidos de asilo, principalmente de sírios revela Eurostat

No segundo trimestre de 2015, a União Europeia (UE) registou 213.200 novos pedidos de asilo, um aumento de 85% face ao período homólogo de 2014 e de 15% face ao entre janeiro e março, segundo o Eurostat.

© Michalis Karagiannis / Reuter


De acordo com o gabinete oficial de estatísticas da UE, o maior número de novos pedidos de asilo no segundo trimestre do ano vieram de sírios (43.995, 21% do total), seguindo-se afegãos (26.995, 13% do total da UE) e albaneses (17.665, 8% do total).

A Alemanha é o país que maior número de pedidos recebeu entre abril e junho, num total de 80.935, em primeiro lugar de oriundos da Síria (16.335), seguindo-se de nacionais da Albânia (15.445) e do Kosovo (7.475).

A Hungria é o segundo Estado-membro com mais novos pedidos (32.675), sendo o primeiro país de origem o Afeganistão (13.640), seguindo-se a Síria (8.440) e o Paquistão (2.665).

A Áustria, com 17.395 novos pedidos de asilo, está no terceiro lugar, sendo a Síria o principal país de origem (5.290), seguida do Afeganistão (4.040) e do Iraque (2.795).

Portugal, por seu lado, recebeu, no período considerado, 250 novos pedidos de asilo, a maior parte dos quais de oriundos da Ucrânia (120), seguindo-se o Mali (30) e China (25).

Até junho, cerca de 592.000 pessoas introduziram um pedido de asilo num Estado-membro da UE, mais 227.000 do que entre janeiro e junho de 2014, quando foram apresentados cerca de 365.00 pedidos.

A Alemanha é o país que, desde o início do ano, mais pedidos recebeu (305.000, 52% do total da UE), seguindo-se a Suécia (56.000, 9%), a Itália (48.300, 8%), a França (36.100, 6%), o Reino Unido (29.400, 5%) e a Grécia (29.200, 5% do total da UE).

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.