sicnot

Perfil

Mundo

Exército turco anunciou ter matado 90 soldados do PKK

O exército da Turquia afirmou ter matado cerca de 90 guerrilheiros do ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), em diferentes operações, informaram hoje meios de comunicação social turcos.

© Sertac Kayar / Reuters

A aviação turca "eliminou" 55 rebeldes curdos, num bombardeamento efetuado hoje no norte do Iraque, informou o diário Milliyet, que cita fontes de segurança e inteligência turcos.

Aviões do tipo F-16 e F-4 2020 realizaram ataques contra as bases do PKK na região de Sinat-Haftanin, no norte do país vizinho.

Segundo fontes do diário, os aviões destruíram cavernas, tendas de campanha camufladas, refúgios especiais, assim como depósitos de logística e munições do PKK.

"A julgar pelas comunicações via radio entre os rebeldes do PKK, informações de fontes locais e fotos aéreas, entre 55 e 60 terroristas foram eliminadas", assegurou o diário.

Por outro lado, os "media" turcos informaram hoje que, numa outra grande operação na província de Tunceli, no leste da Turquia, terão sido mortos outros 30 a 35 rebeldes do PKK.

Nessa mesma região, um comando curdo sequestrou um suboficial do exército num posto de controlo numa estrada.

As tensões entre a Turquia e o PKK cresceram muito nos últimos meses, depois do fim de um cessar-fogo, em finais de julho.

Desde então, morreram mais de 130 membros das diferentes forças de segurança turcas e centenas de guerrilheiros em confrontos e atentados do PKK.

Lusa

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.