sicnot

Perfil

Mundo

Começa na Nova Zelândia processo para extraditar Kim Dotcom para os EUA

O processo para extraditar o fundador do portal Megaupload, Kim Dotcom, para os Estados Unidos da América (EUA), onde é procurado por alegada pirataria informática e outros crimes, começou hoje na cidade neozelandesa de Auckland.

© Nigel Marple / Reuters

"Este caso não é sobre mim, mas sobre o controlo que damos às empresas norte-americanas e ao Governo norte-americano sobre a Internet", disse hoje Dotcom, na sua conta de Twitter, ainda que depois tenha recusado fazer declarações à imprensa.

Juntamente com Dotcom serão julgados em Auckland os alemães Mathias Ortmann e Finn Batato e o holandês Bram van der Kolk, todos detidos em janeiro de 2012 na mansão alugada nos arredores da cidade neozelandeza, como parte de uma operação internacional dirigida pelo FBI.

Na sessão de abertura do julgamento, o juiz Nevin Dawson analisa os pedidos dos arguidos para suspender ou adiar o processo.

O processo de extradição deve demorar cerca de quatro semanas, com a apresentação da análise de um especialista norte-americano sobre direitos de autor, que questiona a base legal da acusação formulada pelas autoridades do seu país.

Segundo as investigações do FBI, o Megaupload, que chegou a ter 50 milhões de usuários e a representar 4% do tráfico mundial, gerou ilegalmente 175 milhões de dólares (162 milhões de euros).

Até agora, o único condenado dos sete membros do Megaupload acusados nos Estados Unidos da América é o programador estónio Andrus Nomm, que em fevereiro passado foi condenado a cerca de um ano de prisão depois de admitir participação na violação de direitos de autor.

Lusa

  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.

  • PJ de Portimão deteve italiano foragido
    0:55

    País

    A Polícia Judiciária de Portimão deteve em Lagos um homem italiano que aguardava extradição. O antigo piloto de automóveis esteve foragido durante quase um ano, depois de ter cortado a pulseira eletrónica.