sicnot

Perfil

Mundo

Jornal do PC chinês ataca homem mais rico da Ásia

O jornal do Partido Comunista Chinês Diário do Povo atacou o magnata de Hong Kong Li Ka-shing, acusando-o de ser "ingrato" ao vender os bens na China continental, numa altura em que o país enfrenta desafios económicos.

Reuters

O empresário, de 87 anos, apelidado de "super-homem" pela sua perspicácia empresarial, tem vindo a vender investimentos imobiliários na China -- onde o crescimento abrandou para os valores mais baixos em 24 anos -- após ali ter investido fortemente nos anos 1990.

Esta decisão, combinada com a venda de bens em Hong Kong, gerou especulações de que o homem mais rico da Ásia esteja a perder confiança na China.

O Diário do Povo considera que a abertura da China, o amplo mercado disponível e medidas favoráveis adotadas foram "o elemento chave" do sucesso de Li, o que não o impediu de estar agora a deixar o seu benfeitor em apuros.

"Partilhou a prosperidade enquanto tivemos uma boa fase, mas não consegue enfrentar as adversidades connosco, agora que temos dificuldades. Emocionalmente, isto é realmente inaceitável", lê-se no jornal, num comentário publicado através da aplicação de mensagens WeChat.

  • DIRETO: Portuguesa entre os 14 mortos dos atentados na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das 13 vítimas mortais do atentado de ontem em Barcelona é de Lisboa e há uma outra portuguesa, a sua neta, desaparecida. Esta madrugada em Cambrils, cinco suspeitos foram abatidos e outra pessoa acabou por morrer, num segundo ataque. Há quatro detenções confirmadas. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Autoridades acreditam que suspeito do ataque nas Ramblas pertence a célula terrorista
    1:36
  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35
  • Nível de ameaça terrorista em Portugal continua moderado
    1:31

    Ataque em Barcelona

    O primeiro-ministro garantiu hoje que, para já, o nível de ameaça terrorista em Portugal não vai ser alterado (o nível está no 4 em 5). Já o Presidente da República disse que não há tolerância possível e garante que há medidas preparadas caso o mesmo cenário venha a acontecer em Portugal.

  • Vento e calor provocam reacendimentos em Mação
    1:55