sicnot

Perfil

Mundo

Merkel promete "cooperar estreitamente" com Tsipras

A chanceler alemã, Angela Merkel, felicitou hoje Alexis Tsipras pela vitória nas legislativas de domingo na Grécia e prometeu cooperar estreitamente com o Governo grego quanto às crises da dívida e dos refugiados, disse o seu porta-voz.

© Ralph Orlowski / Reuters

"Naturalmente que o Governo vai trabalhar estreitamente e num espírito de parceria com o novo governo grego", disse Steffen Seibert à imprensa.

"Esta oferta aplica-se tanto a ultrapassarmos em conjunto a crise da dívida como aos desafios colocados pela situação dos refugiados, que exige respostas comuns", acrescentou.

A Grécia, em crise económica há cinco anos, assinou em julho um terceiro acordo de resgate em troca de reformas. O país é, por outro lado, aquele que mais migrantes tem recebido nos últimos meses, dada a proximidade das suas ilhas das costas da Turquia.

O porta-voz de Merkel afirmou que o terceiro resgate é "uma base muito clara para ultrapassar a crise da dívida" e sublinhou que o acordo foi assinado com a República Helénica e não com um determinado governo. "Isto significa que ele continua inteiramente válido", disse.

No telefonema que Merkel fez a Tsipras, os dois dirigentes falaram da cimeira europeia extraordinária sobre refugiados marcada para quarta-feira e "acordaram cooperar estreitamente nas questões a discutir na reunião e noutras questões europeias e bilaterais", segundo o porta-voz.

O Syriza de Alexis Tsipras foi o vencedor das eleições gregas realizadas no domingo, conquistando 35,47% dos votos e 145 lugares no parlamento. Tsipras toma posse ainda hoje, pelo que participará à cimeira já como primeiro-ministro.

Lusa

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • "Todas as decisões que tomei foi sempre a pensar no Sporting primeiro"
    2:08
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.