sicnot

Perfil

Mundo

Dois jornalistas da televisão Al-Jazeera libertados no Egito depois de perdão presidencial

Dois jornalistas da televisão Al-Jazeera, um dos quais canadiano, foram libertados hoje, algumas horas depois de receberem o perdão do Presidente egípcio Abdel Fattah al-Sissi, informou um jornalista da agência de notícias francesa AFP.

© Asmaa Waguih / Reuters

O canadiano Mohamed Fahmy e o egípcio Baher Mohamed, que foram amnistiados no âmbito do perdão presidencial, disseram ao sair da prisão que têm a esperança de encontrar o mais rapidamente possível os seus familiares.

"Eu estou contente com a ideia de não ter que me preocupar com advogados e oficiais da polícia seguindo-me por todo lado, mas sobretudo, porque eu vou poder partilhar o mesmo teto com a minha esposa", disse Fahmy, depois de ser libertado com o seu colega Baher Mohamed.

"Estamos muito, muito contentes. Mas nós ficamos um pouco surpreendidos pela forma como as coisas aconteceram", disse Mohamed.

Fahmy and Mohamed foram condenados a três anos de prisão num novo julgamento, em agosto, por "alegadamente terem produzido notícias falsas" de apoio ao movimento fundamentalista Irmandade Muçulmana, ilegalizado depois do exército ter deposto o Presidente Mohamed Morsi em 2013.

O repórter australiano Peter Greste também foi condenado no mesmo julgamento, mas já tinha sido deportado mediante um decreto presidencial.

A detenção dos jornalistas e o novo julgamento desencadeou uma onda mundial de críticas ao regime de Al-Sissi, que afirmou ter preferido a deportação a um novo julgamento.

A detenção em dezembro de 2013 ocorreu numa altura de grande tensão e repressão violenta dos membros da Irmandade Muçulmana, na sequência da deposição do líder islamita Morsi.

Na época, as autoridades do Qatar, proprietários da Al Jazeera, apoiavam os islamitas.

O perdão presidencial ocorre na véspera do Id al-Adha, a festa muçulmana do sacrifício e abrange 358 presos, incluindo uma centena de jovens sentenciados a penas de prisão por violação da lei do protesto.

Fahmy, que deixou de ser cidadão egípcio para poder ser deportado, deverá partir para o Canadá.

Além dos dois jornalistas, a jovem ativista egípcia Sanaa Seif e a advogado dos direitos humanos Yara Salam receberam também um perdão total da pena, no âmbito a amnistia de Al-Sissi.

As duas tinham sido condenadas, em outubro passado, a três anos de prisão por uma manifestação realizada em frente ao palácio presidencial, em junho do ano passado, em violação da lei do protesto.

Seif é irmã do conhecido bloguista Alaa Abdelfatah, símbolo da revolução de 2011, e Salam é uma advogada que trabalha para a organização não-governamental (ONG) Iniciativa Egípcia de Direitos Pessoais.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59